Fecha y fechado

Segunda onda de Covid-19 na Europa: devemos nos preocupar?

2020.11.13 13:08 coldshadowbr Segunda onda de Covid-19 na Europa: devemos nos preocupar?

Embora no momento o Brasil apresente uma queda no ritmo de novos casos e mortes por coronavírus, a segunda onda na Europa está deixando algumas pessoas de cabelos em pé por aqui. Países como Bélgica, França, Inglaterra, Itália, Áustria e Alemanha já decretaram novas medidas sanitárias, fechamento de alguns estabelecimentos, toques de recolher… Há até lockdowns sendo impostos outra vez.
A situação no Brasil
Os profissionais de saúde consideram que a Europa está dois meses na frente do Brasil na pandemia. Daí porque é importante observar o que acontece por lá para desenhar o melhor plano possível por aqui.
Há ainda a questão do clima: o Hemisfério Norte está saindo do verão e entrando no inverno. E infecções respiratórias em geral tendem a se disseminar mais no frio, porque as pessoas ficam aglomeradas em locais fechados. “O fato de nós estarmos entrando no verão pode nos beneficiar”, destaca o infectologista. Só tenha em mente que, mesmo no calor, cidades brasileiras já foram duramente afetadas pala pandemia.
Granato elenca outra particularidade: o número de pessoas expostas à Covid-19. Ele, aliás, participa de um estudo que vem calculando quantos paulistanos já testaram positivo para o coronavírus. “Em São Paulo, 26% da população foi infectada, em média. Em Manaus, 66%. Já Madrid, um dos epicentros europeus da pandemia, teve apenas 11% da população em contato com o vírus. Ou seja, há maior risco de ele encontrar novas vítimas em boa parte da Europa”, compara.
Mas isso não significa que devemos baixar a guarda: seguir higienizando as mãos, mantendo distanciamento social e usando máscara são medidas fundamentais para impedir a propagação do vírus.
Lacerda frisa que, em um momento como esse, é normal as autoridades precisarem por vezes retroceder em seu processo de reabertura. Se os casos caem, dá para flexibilizar um pouco. Já se começam a subir, é preciso apertar os cintos mais uma vez. “Falar desse abre-e-fecha dá uma impressão ruim, mas a estratégia de relaxamento precisa ser revista todo dia mesmo”, aponta o especialista.
https://saude.abril.com.bmedicina/segunda-onda-de-covid-19-na-europa-devemos-nos-preocupa
submitted by coldshadowbr to sobrevivencialismo [link] [comments]


2020.09.28 15:50 Vedovati_Pisos Amônia: Veja aqui como evitar na cocheira do seu cavalo!

Alguma vez você já entrou em uma cocheira e sentiu as emanações nocivas de amônia? Seus olhos lacrimejam, o nariz escorre, sua garganta fecha; você pode ser tentado a espirrar só de pensar nisso.
Você sairia imediatamente. Imagine então o que deve ser para cavalos confinados em um espaço fechado com pouca ventilação. Onde eles poderiam ir para respirar ar fresco?
O acúmulo de Amoníaco pode afetar a saúde respiratória e o desempenho de um cavalo. A boa notícia é que é evitável, em grande parte, com as práticas saudáveis de gestão.
Impacto da amônia
Segundo Melissa Mazan, médica veterinária, professora associada de ciências clínicas na Escola Cummings de Medicina Veterinária da Universidade Tufts, em Massachusetts: “A EPA (Environmental Protection Agency) recomenda que as pessoas não devem ser expostas a mais de 1,4 ppm (partes por milhão) em uma base crônica; níveis de 24 ppm causam graves irritações de garganta e nasal.
“A amônia, em níveis típicos de baias, afeta principalmente as vias aéreas superiores do cavalo”, ela observa. “No entanto, em concentrações mais elevadas, a amônia pode causar inflamação das vias aéreas e edema pulmonar, o que ocorre geralmente em níveis superiores a 500 ppm. As exposições mais graves com edema pulmonar têm consequências potencialmente fatais.”
A amônia causa condições inflamatórias nas vias aéreas dos equídeos, aumentando o muco, que afeta negativamente a resposta imunológica, interferindo com a ação dos cílios (pelos microscópicos) que revestem as vias respiratórias – estes cílios servem como uma defesa natural, evitando que poeira e detritos entrem profundamente no trato respiratório.
O impacto na respiração de amônia prejudica o desempenho e vitalidade de um cavalo, particularmente quando as vias aéreas também são atacadas por poeira, endotoxinas (um componente de bactérias), e outras partículas.
Verificação de amônia
Eileen Fabian Wheeler, PhD, professora da qualidade do ar na Pennsylvania State University, tem um interesse especial na otimização do ambiente de cocheiras. Ela comenta: “Se você pode sentir o cheiro de amônia no estábulo, então ele já está acima do limite recomendado para uma boa qualidade do ar.”
Ela relatou que o nível de amônia num estábulo deve ser mantido abaixo de 10 ppm, e o reconhecimento do cheiro de amônia pelos humanos não ocorre até 20 ou 30 ppm, o que é mais elevado do que o desejável ​​para a saúde do cavalo. “A amônia é mais leve que o ar, mas o seu nível é maior perto de sua fonte – urina e fezes depositadas nas baias”, diz Wheeler. ”
Para avaliar adequadamente o nível de amônia, você vai precisar medi-la na zona de respiração do seu cavalo (a esfera de dois pés em torno do nariz do cavalo de onde ele tira sua respiração).
Existem empresas que possuem dispositivos para medir a quantidade de amônia no ar.
Recomendações do Ar Limpo
Boa ventilação e estratégias de higiene práticas são necessárias para livrar um celeiro de amônia. “Cocheiras nunca devem ser fechadas, mesmo no inverno”, diz Wheeler. ”
Os estábulos adequados possuem aberturas em toda estrutura. O não fornecimento de tais aberturas deixa as baias com cheiro de estrume além da amônia e também permite a condensação, que deixa manchas e inclusive deterioram a estrutura.
Altos níveis de umidade, resultantes da má ventilação, tornam um celeiro frio, úmido e abafado. Wheeler salienta que deixando um estábulo “respirar” reduz-se a amônia, odores e umidade e o mantém fresco e seco, mesmo no clima mais frio.
Wheeler faz algumas recomendações sobre o intercâmbio de ar nas baias, baseadas em regras gerais comprovadas:
“Use aberturas permanentes que fornecem pelo menos cerca de 50cm² de abertura por cavalo alojado – o ideal é uma longa fenda em vez de um quadrado, com 3cm de largura de entalhe, permanentemente aberto, ao longo de todo o comprimento da baia, nos beirais”.
Ela ressalta que, colocando essa fenda de entrada nos beirais, o ar frio entra como um fluxo de ar que se mistura rapidamente com o ar parado, um pouco mais quente, da baia. Isso permite a entrada livre de ar fresco, com o ar viciado da baia que circulando para fora. “As aberturas maiores melhoram a chance de manter uma boa qualidade do ar durante todo o ano. “Pode-se fazer aberturas ajustáveis, ​​maiores para um clima mais quente”, diz ela.
Tire vantagem de flutuação térmica (a elevação do ar quente); o ar úmido é menos denso e sobe para as aberturas altas. Wheeler explica, “Aquecido, o ar úmido sobe e é lançado fora pelas aberturas altas, criando um efeito chaminé, que permite que o ar exterior fresco entre na baia, através das aberturas inferiores. Flutuação térmica é uma das duas forças de direção de ventilação natural, a outra é o vento, que é muito mais eficaz do que a flutuação térmica para ventilar uma cocheira”.
Wheeler também observa, “Outro ponto importante é fornecer pelo menos dois conjuntos de aberturas localizadas em diferentes partes da construção; uma abertura de ventilação por si só não será eficaz em melhorar a qualidade do ar em toda a baia. Incluir aberturas no beiral ao longo das duas paredes laterais, por exemplo”.
Ela menciona o valor da utilização de cúpulas com aberturas: “… uma cúpula na parte superior do telhado do pavilhão de cocheiras oferece uma saída para o ar quente e do odor além de permitir que o vento movimente o ar para dentro e para fora do estábulo.”
Wheeler adverte que ter um corredor de trabalho bem ventilado, mas com baias mal ventiladas, não é útil para os cavalos. “Aberturas entre baias também ajudam muito o fluxo de ar em todo o estábulo, com benefícios adicionais na socialização para os cavalos e fácil visualização de todos os animais”, diz ela.
Para cavalos estabulados, em dias quentes, Wheeler recomenda a instalação de portas com malha resistente tanto para o exterior como para o interior das cocheiras. Isso permite que a brisa de fluxo cruzado se desloque entre os corpos dos cavalos.

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/amonia-como-evitar-na-cocheira/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]


2020.08.29 20:43 chadnandinho Conversas

Olá, tudo bem com vocês? Eu vejo um povo novo desabafando aqui, sobre não saber socializar direito ou até mesmo conversar direito. Então, vou contar pela minha experiência de vida. Para se ter uma conversa boa e digamos satisfatória, temos que ter em mente que as duas pessoas estão na mesma sintonia e apostando a mesma energia sobre o mesmo, assim podemos acreditar que estamos dando atenção necessária para a pessoa e que sabemos o que sobre estamos conversarmos. As pessoas hoje em dia são bem diferentes com a de antes. Temos que entender, que as pessoas hoje são bem mais ocupadas e que muitas das conversas não passam de um "small talk" é como se fosse a fila do pão. (que dia lindo, oi, tudo bem?, o pão está fresco hoje?) Entendem que isso é muito vago, porém um pouco satisfatório? Pode ter conversado pouco porém já é uma conversa. Então para se ter uma conversa boa, eu aconselho que conheça a vida. Observe cada coisa, pesquise sobre e tente conhecer o máximo possível de todos os assuntos. Assim independente do que a pessoa conversar com vc, você poderá ter uma resposta na língua e ter uma opinião ou uma pergunta sobre aquilo tbm. Mas vamos deixar bem claro e preste atenção aqui. Esta tudo bem você não saber de algo, mentir na conversa não é legal para ambos, não seja o cara sabe tudo e mais do que tudo seja humilde. As vezes tbm temos que entender, que as pessoas tem sintonia e caminhos. Temos que aceitar e respeitar em todos os aspectos possíveis, sendo que quando você acha algo errado, observe, tente entender e tenha empatia. Saiba que a pessoa possa entender os dois lados porém, escolhera só um lado, e está tudo bem. Temos que ter em mente que todos os humanos são diferentes, toda a vida é diferente e hoje em dia cada bolha de Internet é diferente. Então não se deixe frustrar se uma conversa não vai bem, não se deixe ficar tímido e fechado, só pq a outra pessoa não te deu toda a atenção que vc merece. Vai ficar tudo bem! Tenho certeza que se você se fechar, ficar em silêncio ou até mesmo deixar que o fundo do poço te leve. Não vai ser uma boa ideia. Quanto mais se fecha, menos experiente você será quanto mais você ficar em silêncio, menos dúvidas você tirará de si. Quanto mais no fundo do poço você estiver, mais tardio será a sua evolução como humanos social. Enfim..... Seja um humano legal, seja quem você construir e seja além de tudo alguém com respeito. Boa sorte a todos! S2
submitted by chadnandinho to desabafos [link] [comments]


2020.08.26 04:46 teteia_lupas Um pedido de ajuda de um amigo artista sem trampos ou grana

Oie galera, me interpretem como um amigo artista de vocês, meu "hobby" desde 2010 foi manipular mídia , desde 2015 sou graduado em cinema e vídeo digital , tenho navegado do universo de freelance desde então....no começo desse ano decidi largar a vida árdua do freelance e tentar algo mais formal/profissional, consegui entrar em um processo seletivo de uma empresa bem moderna daqui onde moro e também estava numa posição estável de assistente de outro artista, monetariamente e profissionalmente tudo ia bem, depois de meses no processo seletivo a empresa me chama para uma ultima entrevista, foram umas duas entrevistas e mais algumas atividades seletivas todas as vezes que interagi com alguém da empresa eu tive que provar meu mérito e produzir algum material para eles como forma de teste, o tempo passou tive uma reunião com o chefe da empresa para minutos depois chegar em casa e ser informado que a vaga era apenas para estudantes (deixei claro sempre que eu já era graduado mas mesmo assim continuavam me chamando para próximas fases só para no final dizerem que seria impossível me contratar pois eu não estava estudando) , com a chegada do vírus meu trampo de assistente no qual eu também seria efetivado foi colocado em hiato sem previsão de volta e meus freelas caíram de quantidade absurdamente, meus trampos atuais mal me ajudam a me bancar e eu quero ajudar meus país (moro com eles, os dois tem uma pequena loja mas meu pai teve que se mudar recentemente para cuidar da saúde da minha tia) e quero ajudar minha namorada nas contas pois passamos mto tempo junto (passo praticamente 50% da semana com meus pais e 50% da semana com ela),
tenho um flyer para produzir e um vídeo que por acaso um gringo ( que nem sei se vai me pagar) pediu para que eu fizesse pra ele,esses são meus jobs fechados não tenho nada alem disso, sem contar que são jobs q eu estou fazendo por um terço do valor que todos me recomendam, a galera some quando eu cobro o valor "normal" só esses dois jobs não me ajudam a pagar nem metade das minhas contas.
deixo aqui meu apelo, se você precisa de alguém que mexa com:
-Design Gráfico
-Mídias Sociais
-Edição de Vídeo( montagem, sincronização de áudio, edição básica e avançada)
-After effects ( correção de cor, intros , transições......)
-Edição de Áudio
Tenho experiencia com tudo que envolve áudio-visual mas minha especialidade se resume em edição , pós produção de vídeos e design gráfico , uma amostra do meu trampo é esse vídeo aqui
https://www.reddit.com/brasil/comments/hho2ck/inspirado_num_timelapse_postado_aqui_alguns_dias/
eu até mandaria mais uns exemplos aqui mas a moderação me instruiu pra tomar cuidado com dados pessoais então se eu captei teu interesse vem falar comigo por dm e a gente fecha um negócio maneiro eu posso fazer tudo que envolva imagens, vídeos e áudio, posts pra mídias sociais, sério o que você precisar eu consigo e eu aceito praticamente qualquer valor então é só chegar e bater um papo :)
submitted by teteia_lupas to desabafos [link] [comments]


2020.08.19 16:00 silosenivengo [35º día de 𝐋𝐄𝐘 𝐌𝐎𝐑𝐃𝐀𝐙𝐀 𝐏𝐋𝐀𝐙𝐀... 𝐲 "𝐜𝐚𝐥𝐢𝐟𝐨𝐫𝐧𝐢𝐚𝐧𝐚"] La noticia más escandalosa del día sobre Podemos es... a elegir: 1. “El chat de Podemos: «El juez nos preguntará si la licitación es una tapadera de una obra ya adjudicada»” (Javier Chicote)

El abogado purgado José Manuel Calvente aportó al juez los mensajes que probarían cómo la adjudicación de las obras de la sede del partido estaba presuntamente amañada

«El abogado purgado de Podemos, José Manuel Calvente, entregó al juez el contenido de varios chats –individuales y de un grupo de miembros del partido– que evidencian, presuntamente, cómo la formación política no licitó de forma limpia las obras de reforma de su nueva sede, procedimiento al que están obligados por recibir fondos públicos. Según la descarga del grupo de Telegram que está en manos del juez, el 30 de abril de 2019, un empleado de Recursos Humanos, «Isaac», dice a Calvente: «Me acaba de avisar Rocío de que arrancan las obras el día 20 de mayo, hay que sacar el tema de la licitación con lo que sea necesario, aunque de momento tiremos con un mínimo». Este mensaje evidenciaría que las obras tenían fecha de inicio pese a no estar licitadas. El abogado le responde enumerando la documentación necesaria para la licitación.
»El 21 de mayo, el mismo Isaac cuenta a Calvente que le están «empezando a llegar los contratos de los contratistas y les estoy dando largas para la firma», ante lo que el letrado responde con extrañeza: «No entiendo. ¿Cómo llegan los contratos? Entones, ¿para qué hacemos licitación?». Isaac no entiende la pregunta retórica: «¿No se supone que es obligatorio?», inquiere. El abogado de Podemos le aclara que «es obligatorio para elegir al contratista, pero si ya está elegido, se ha hecho mal». Antes de licitar una obra no se puede firmar el contrato con un adjudicatario que aún no debe existir».
[El resto del chat y de la noticia, en el enlace]
https://www.abc.es/espana/abci-chat-podemos-juez-preguntara-si-licitacion-tapadera-obra-adjudicada-202008190200_noticia.html
 

2. (Crisis del coronavirus) “Montero admite que avaló el 8-M aunque tenía un informe de la OMS que alertaba del riesgo de las multitudes” (Luz Sela)

«La ministra de Igualdad, Irene Montero, avaló las marchas multitudinarias del 8-M, pese al evidente riesgo sanitario, con dos informes que no servían para sostener la celebración de dicho evento. Uno de ellos es un dossier de la Organización Mundial de la Salud (OMS), en el que incluso se avisa del riesgo de los actos multitudinarios y se insta a las autoridades a tomar medidas. Otro, el informe de evaluación diario emitido por el departamento de Seguridad Nacional que, ese día, recogía también el aviso de los organismos internacionales sobre el alto riesgo de propagación. Montero se remite además a las declaraciones de Salvador Illa y Fernando Simón, en la rueda de prensa ofrecida pocas horas antes de la manifestación.
»En definitiva, de la respuesta se concluye que, pese a lo manifestado en su día por la ministra, no existió ningún documento en concreto que evaluase el riesgo asociado a las manifestaciones del Día de la Mujer. Por entonces, los contagios en la Comunidad de Madrid ya estaban disparados».-
[El resto de la noticia sobre el documento "fantasma" de evaluación del riesgo para las manifestaciones del Día de la Mujer, en el enlace]
https://okdiario.com/espana/irene-montero-admite-que-no-tenia-ningun-informe-expertos-que-autorizase-celebracion-del-8-m-6038789
 

3. “La consultora de Podemos que investiga el juez lleva cinco meses sin administrador” (Isabel Vega)

El abogado despedido denunció que Neurona es una pantalla y el contrato, «ficticio»
La consultora a la que Podemos contrató para las elecciones de abril de 2019, Neurona Comunidad S.L, haciendo saltar las alarmas del Tribunal de Cuentas y ahora, del juez que investiga al partido por malversación, no tiene a nadie a los mandos. Según la documentación mercantil consultada por ABC, no cuenta con administrador ni ningún otro cargo inscrito, lo que además de resultar una situación atípica en una sociedad que consta como activa en el Registro Mercantil y contravenir la Ley de Sociedades de Capital, añade un plus de dificultad en la investigación abierta en el Juzgado de Instrucción número 42 de Madrid sobre el partido y varios de sus dirigentes: no hay persona física que responda de los actos de esta sociedad desde hace cinco meses.
Neurona Comunidad S.L inició su actividad el 19 de marzo de 2019, aunque formalmente, fue inscrita con un capital social de 3.000 euros quince días antes. A su fundación, el administrador único era el abogado especializado en mercantil Elías Castejón, y su sede, la del despacho profesional en la provincia de Sevilla de este letrado, cuyo nombre sigue figurando en un total de 18 sociedades activas, parte de las cuales están inscritas en la misma dirección postal.
Sin embargo, Castejón dimitió de su puesto como administrador único de Neurona el pasado 4 de marzo en un movimiento que el Boletín Oficial del Registro Mercantil publicó el día 16 sin designación de sucesor. Nadie lo sustituyó. Para aquella fecha, ya estaba en marcha la denuncia que en diciembre había presentado el exabogado de Podemos José Manuel Calvente y que sitúa a Neurona Comunidad como una tapadera creada específicamente para contratar con Unidas Podemos en la campaña electoral de 2019 por importe de 363.000 euros escondiendo a sus reales promotores.
Apoya su denuncia con un borrador de contrato con Neurona Comunidad que pasó por sus manos: está fechado en febrero, cuando la sociedad en España aún no existía, como tampoco estaba formalizada la coalición electoral que contrataba los servicios. Aunque en ese documento aparece Castejón como representante de la mercantil, se consigna una persona de contacto que tiene el mismo domicilio en Sevilla que la empresa pero un teléfono extranjero. Se trata de Eduardo López Hernández, que consta en México como mediador profesional con licencia.
Neurona Consulting
De hecho, ha sido el propio Castejón quien al defenderse de informaciones que le situaban como un mero testaferro, ha difundido el nombre de los socios detrás de Neurona Comunidad: los ciudadanos de origen mexicano Andrea Edlin López Hernández y César Hernández Paredes, quien se identifica en redes como director de Neurona. Se trata de la misma consultora cuyos contratos con el Gobierno de Evo Morales están siendo investigados en Bolivia. El Banco Central de aquel país certificó pagos de 1,8 millones de dólares a esta empresa de origen mexicano entre octubre 2017 y diciembre 2018 que ahora están bajo la lupa.
Hernández, además, tiene relación con Juan Carlos Monedero, documentada a golpe de imágenes de eventos públicos diversos. Esto lleva a pensar al abogado denunciante que la elección de Neurona Consulting y su contratación a través de Neurona Comunidad, puede esconder alguna contrapartida para el fundador de Podemos. Sin embargo, el juez ha restringido sus pesquisas en este caso a la lista de empresas del Registro Mercantil en las que figure en puestos de poder.
No consta como consultora
Neurona Comunidad parecería así una filial de esta consultora que tiene presencia además de México, en países latinoamericanos como Chile o Argentina, si bien en el caso de España el objeto social con el que figura no tiene que ver con la consultoría electoral sino con «la adquisición, tenencia, disfrute, administración y enajenación de valores mobiliarios», y no constan más oficinas que el despacho de abogados de su antiguo administrador. Tampoco está claro que tenga empleados.
El juez Juan José Escalonilla ha pedido al Servicio Público de Empleo Estatal que informe al respecto. También ha citado como investigados a Castejón, porque administraba en las fechas del contrato, y al mencionado mediador. Del lado de Podemos, el imputado es Juan Manuel del Olmo, responsable de aquella campaña y firmante del contrato.
Además de identificar los pagos y los movimientos bancarios de Neurona, Escalonilla ha pedido al al Tribunal de Cuentas los papeles que aportó la coalición al ser requerida y a Podemos, justificación de los trabajos por los que pagó 363.000 euros para el 28-A.
En este sentido, un perfil de la consultora ubicado en Uruguay muestra que no era la primera vez que los de Iglesias recurrían a ellos. Junto a vídeos realizados para Nicolás Maduro, Rafael Correa y Evo Morales, aparecen los de Podemos y sus coaliciones: Desde el «modela tu país» de 2014, hasta el «la historia la escribes tú» de 2019 que ahora revisará el juez.
[Copia íntegra de la noticia, el enlace es sólo para suscriptores]
https://www.abc.es/espana/abci-consultora-podemos-investiga-juez-lleva-cinco-meses-sin-administrador-202008181935_noticia.html
submitted by silosenivengo to Gulag_Podemos [link] [comments]


2020.08.13 19:57 yo_ruso Me contactaron del salón donde tenía fecha para casarme en Noviembre que van a cerrar y presentarse a concurso

Estimados, buenas tardes. Tengo un contrato con un salón de Pilar para realizar un evento de mi casamiento, fechado para Noviembre 2020, y me acaban de llamar para anticiparme que los socios del salón tomaron la decisión de cerrar, y que van a presentarse a concurso.
Un poco de contexto, en Diciembre 2019 firmamos un contrato para realizar nuestra fiesta de casamiento para Noviembre 2020, donde fijamos un plan de pagos mensual con una actualización impuesta por ellos. La misma propuesta ofrecía realizar los pagos de manera informal, en efectivo, sin factura, para no pagar el IVA, con lo cual todos los meses fuimos realizando los pagos en efectivo, a cambio de un recibo impreso y firmado por ellos en el momento.
Cuando comenzó la pandemia tuvimos que hacer malavares para poder seguir realizando los pagos en microcentro, donde tienen las oficinas y la dirección legal esta sociedad. En el mes de mayo, 125 días antes de nuestro evento, nos contactamos pidiendo reprogramación de la fiesta, ya que por contrato lo debíamos solicitar 120 días antes. Todas las respuestas fueron super dilatadas, demoraban 3 a 5 días en conestarnos, no nos daban respuestas concretas, nos llamaban para decirnos cosas por teléfono, pero no nos querían poner nada por escrito por mail.
Para el pago de julio nos avisan que las oficinas estaban cerradas ya que se encontraban en un edificio que también era residencial, y nos ofrecieron ir a pagar al salon, al cual accedimos, ya que hasta nos resultaba mucho más conveniente. cuando fui, me recibe una de las socias y directora del salón, con lo cual coordinamos una videollamada para ese mismo día para charlar con mi pareja por nuestro planteo de la reprogramación. En la videollamada nos empezó a decir que teníamos que ser más positivos, que para noviembre iba a estar todo bien, que ellos ya tenían eventos desde septiembre y bla bla bla, pero nosotros seguimos insistiendo en querer reprogramar, a lo que nos ofrece evaluar una reprogramación a Enero o febrero 2021, pero no más allá, ya que los socios no sabían si iban a querer continuar con el negocio más allá de Marzo, pero que hasta febrero podían ofrecer eventos. Si bien no era una fecha que nos gustara, pedimos que nos realizaran la propuesta por la reprogramación a febrero, y en el transcurso de la semana nos enviaron una propuesta que bordeaba lo usurero, con un incremento de casi el 50% a abonar en 2 pagos, y sin considerar el lucro cesante por dejar la fecha vacía de noviembre. Obviamente no accedimos, y nos quedamos con nuestra fecha de noviembre, hasta que ellos mismos tuvieran que obligadamente reagendar por disposición de no poder realizar eventos.
Este mes cuando nos ponemos en contacto para realizar el pago, nos empiezan a patear.. que no podían recibir gente en capital, y que tampoco podían recibir gente en el salón.. por contrato teníamos que pagar del 1 al 10 de cada mes, y a partir del 10 empezamos a insistir todos los días.
En el día de hoy me llama la planificadora, y nos dice que ayer le comunicaron que los socios decidieron cerrar el salón, que es insostenible los 5 meses que pasaron sin eventos, mas los que van a seguir viniendo, que están con los contadores y abogados ultimando detalles, pero que van a presentarse en concurso de acreedores, que en los próximos días se va a poner en contacto el abogado para notificarnos.
Consulta: ¿que tan negro es el panorama? son un poco mas de 300k que llevo pagando. ¿Que chances hay de recuperar esa plata (con o sin algun tipo de actualización)? ¿cuanto tiempo puede llevar esto? Por lo que nos dio a entender la que nos llamó, estamos al final de la cadena en un concurso, primero vienen los empleados, después los proveedores, y recién después nosotros.
Gracias a los que se tomaron el tiempo de leer un poco mi catarsis, perdón por hacerlo extenso.
submitted by yo_ruso to DerechoGenial [link] [comments]


2020.06.16 06:05 erick_rednose Fechar o comércio é realmente válido pela questão do corona virus?

A ideia é muito boa, fecha tudo e as pessoas ficam em casa, porém as pessoas NÃO FICAM EM CASA, eu moro na zona leste de SP, e não mudou praticamente nada, só os comércios estão fechados mas o povo tá andando pra lá e pra cá, sem máscara, com mascará no queixo, se beijando, fazendo festa na rua etc, enfim parece mais uma férias coletiva
Aí eu pergunto: qual a validade do isolamento social e de fechar o comércio se as pessoas não estão de quarentena? muito pelo contrário, continuam fazendo farra por aí, o vírus vai disseminar da mesma maneira, pois o comércio estando aberto ou fechado não muda nada, por isso ao meu ver todo esse esforço foi em vão, acho q a única coisa q desafogou foi o transporte publico, mas, a circulação de pessoas continua a mesma pelos bairros aí, e os centros continuam cheios de gente.
submitted by erick_rednose to brasil [link] [comments]


2020.05.21 08:08 Mankyle Se ha respondido correctamente desde el Ministerio de Sanidad??

Os paso unos Documentos del Ministerio de Sanidad de ANTES del 8M en el que se hace mencion a las medidas ante el Coronavirus. Estan enlazados directamente a la Web del Ministerio de Sanidad y Consumo.
Me llaman la atencion unas cuantas cosas.
https://www.mscbs.gob.es/profesionales/saludPublica/ccayes/alertasActual/nCov-China/documentos/Evaluacion_de_riesgo_y_medidas.pdf
Este documento esta fechado el 24/02/2020. En la primera página se dice que el riesgo es MODERADO. Si el riesgo era moderado??? Por qué no se tomaron medidas hasta casi tres semanas después??
https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://www.mscbs.gob.es/profesionales/saludPublica/ccayes/alertasActual/nCov-China/documentos/Actualizacion_31_COVID-19.pdf&ved=2ahUKEwiaqpDYn77pAhUl2-AKHYJABHQQFjABegQIBxAB&usg=AOvVaw2VIlZyq-Xg0ZKNIwlma7kO
Este otro documento es del dia siguiente 26/02/2020 y ya se recogen las actuaciones que tomó Italia en esos dias que ya se veia que nos llevaban dos semanas de adelanto.... Imaginaos si en esa fecha se hubieran cancelado vuelos a Italia, cancelado Vistalegres, Partidos de futbol y 8Ms...
Prefiero pensar que fue exceso de confianza pero francamente... no habla bien de la gestion de la pandemia
submitted by Mankyle to SpainPolitics [link] [comments]


2020.05.20 13:39 taac007 Livro de reclamações

Boas não sei se é o sítio certo, no entanto aqui vai.
Ontem estava a trabalhar, sou gerente de um estabelecimento que fecha as 2:00am, apareceu um grupo de clientes depois da hora de fecho (2h05am) a pedir o livro de reclamações a dizer que já lá estavam há muito tempo à espera, o que é mentira porque vi nas cameras de vigilância. Eles começar a fazer pressão para eu os atender ou queriam o livro de reclamações, eu disse que já estavamos fechados. Eles começaram a ficar exaltados. Eu disse que não me estava a sentir confortável, e que podia chamar a polícia para acompanhar a reclamação. Eles foram embora depois de barafustarem muito.
Não encontro esta informação em lado nenhum
A minha questão é sou eu obrigado a dar o livro de reclamações tendo o estabelecimento já fechado?
submitted by taac007 to portugal [link] [comments]


2020.04.24 18:19 HairlessButtcrack Cronologia do Covid-19

Boas malta fiz uma cronologia dos eventos nos estados unidos para entender como é que eles estiveram e quis comparar com a nossa. Decidi postar depois de ver este e este posts.
As conclusões não são boas, os media (americanos) dizem mal da inação do Trump mas nós tivemos uma sorte do Carvalho. Se em movimento de pessoas fossemos iguais a outros países os números eram muito piores, que se formos a olhar bem proporcionalmente em casos estamos ao nível dos estados unidos (mas com metade das mortes). A nossa primeira ação foi a meio de março.
(A minha cronologia certamente que não está completa e estou aberto a adicionar ou retirar coisas dadas fontes, Grande parte veio da Lusa/CM/JN outras coisas vieram da cronologia que fiz dos EUA)
Cronologia:
31 de dezembro de 2019 Organização Mundial de Saúde (OMS) revela haver mais de duas dezenas de casos de pneumonia de origem desconhecida detetados na cidade chinesa de Wuhan, província de Hubei.
1 de janeiro de 2020 É encerrado o mercado de peixe e carne de Wuhan que se pensa estar na origem da contaminação, dado que os doentes tinham todos ligação ao local.
4 de janeiro São 44 os casos de doentes com uma pneumonia de origem desconhecida reportados pelas autoridades chinesas.
5 de janeiro A OMS relatou uma "pneumonia de causa desconhecida" em Wuhan, China. A OMS desaconselhou restrições de viagem ou comércio na época.
8 de janeiro O CDC (EUA) emitiu o primeiro alerta público sobre o coronavírus.
9 de janeiro A OMS emitiu uma declaração nomeando a doença como um novo coronavírus em Wuhan. A China publicou os dados genéticos do novo coronavírus.
10 de janeiro É registado o primeiro morto, um homem de 61 anos, frequentador do mercado de Wuhan. Oficialmente há 41 pessoas infetadas na China. As autoridades chinesas identificam o agente causador das pneumonias como um tipo novo de coronavírus, que foi isolado em sete doentes.
13 de janeiro Primeiro caso confirmado fora da China, na Tailândia.
14 de janeiro A OMS disse que não encontrou provas de transmissão de pessoa para pessoa. https://twitter.com/WHO/status/1217043229427761152 https://nypost.com/2020/03/20/who-haunted-by-old-tweet-saying-china-found-no-human-transmission-of-coronavirus/
O chefe da Comissão Nacional de Saúde da China, Ma Xiaowei, forneceu confidencialmente uma avaliação “sombria” da situação para as principais autoridades de saúde chinesas. O memorando relacionado afirmava que "a transmissão de humano para humano é possível". Uma investigação da AP News indicou que a denúncia de um caso na Tailândia levou à reunião, bem como o risco de se espalhar com o aumento das viagens durante o Ano Novo Chinês e várias considerações políticas. No entanto, o público chinês não é avisado até 20 de janeiro.
15 de janeiro Primeiro caso reportado no Japão do novo coronavírus, entretanto designado como 2019-nCoV. Primeira declaração das autoridades portuguesas sobre o novo coronavírus. A diretora-geral da Saúde estima, com base nas informações provenientes da China, que o surto estará contido e que uma eventual propagação em massa não é "uma hipótese no momento a ser equacionada".
20 de janeiro Autoridades confirmam que há transmissão entre seres humanos. (CM reporta isto mas não consigo confirmar em mais fonte nenhuma, a OMS só confirmou a 23 de Janeiro)
O secretário geral do Partido Comunista Chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro do Conselho de Estado, Li Keqiang, emitem o primeiro aviso público sobre o coronavírus aos cidadãos chineses. Uma investigação da AP News alegou que, de 14 a 20 de janeiro, as autoridades chinesas tomaram medidas confidenciais para mobilizar sua resposta à pandemia, mas não alertaram o público. Alertar o público seis dias antes podia ter evitado "o colapso do sistema médico de Wuhan", segundo um epidemiologista.
21 de janeiro Primeiro caso nos Estados Unidos, num doente em Washington regressado de Wuhan.
22 de janeiro Macau confirma o primeiro caso da doença, numa altura em que há mais de 440 infetados. Começa o isolamento da cidade de Wuhan ao mundo. Autoridades de saúde chinesas cancelam voos e saída de comboios. Portugal anuncia que acionou os dispositivos de saúde pública e tem três hospitais em alerta: São João (Porto), Curry Cabral e Estefânia (ambos Lisboa).
23 de janeiro OMS reúne comité de emergência na Suíça para avaliar se o surto constitui uma emergência de saúde pública internacional. Decide não a decretar. Autoridades chinesas proíbem entradas e saídas numa segunda cidade, Huanggan, a 70 km de Wuhan. As duas cidades têm em conjunto mais de 18 milhões de habitantes. Alguns aeroportos no mundo, como no Dubai, nos Estados Unidos e nalguns países africanos, começam a tomar precauções para lidar com o fluxo de turistas chineses que tiram férias no Ano Novo Lunar, que coincide com o surto.
24 de janeiro Confirmados em França os primeiros dois casos na Europa, ambos importados.
25 de janeiro Pequim suspende as viagens organizadas na China e ao estrangeiro. Austrália anuncia primeiro caso. Hong Kong declara estado de emergência. Primeiro caso suspeito em Portugal, mas as análises revelam que é negativo.
27 de janeiro O Centro Europeu de Controlo das Doenças pede aos estados-membros da União Europeia que adotem "medidas rigorosas e oportunas" para controlo do novo coronavírus.
28 de janeiro Mecanismo Europeu de Proteção Civil é ativado, a pedido de França, para repatriamento dos franceses em Wuhan. Confirmados dois casos, um na Alemanha e outro no Japão, de doentes que não estiveram na China, tendo sido infetados nos seus países por pessoas provenientes de Wuhan.
29 de janeiro Pelo menos 17 portugueses pedem para sair da China, quase todos na região de Wuhan. Finlândia confirma primeiro caso. Rússia encerra fronteira terrestre com a China. Estudo genético confirma que o novo coronavírus terá sido transmitido aos humanos através de um animal selvagem, ainda desconhecido, que foi infetado por morcegos.
30 de janeiro OMS declara surto como caso de emergência de saúde pública internacional, mas opõe-se a restrições de viagens e trocas comerciais.
31 de janeiro Estados Unidos decidem proibir a entrada de estrangeiros que tenham estado na China nos últimos 14 dias e impor quarentena a viajantes de qualquer nacionalidade provenientes da província de Hubei. Ministério da Saúde de Portugal anuncia que vai disponibilizar instalações onde os portugueses provenientes de Wuhan possam ficar em isolamento voluntário.
1 de fevereiro Austrália proíbe entrada no país a não residentes vindos da China.
2 de fevereiro Os 18 portugueses e as duas brasileiras retirados da cidade de Wuhan chegam a Lisboa e ficam em isolamento voluntário por 14 dias. Filipinas anunciam o primeiro caso mortal no país. É a primeira morte fora da China.
3 de fevereiro OMS anuncia que está a trabalhar com a Google para travar informações falsas sobre o novo coronavírus. O chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, declarou que não havia necessidade de medidas que "interferissem desnecessariamente com viagens e comércio internacionais" para parar o coronavírus. Elogiou a resposta chinesa e referiu que a propagação do vírus é "mínima e lenta".
11 de fevereiro OMS decide dar oficialmente o nome de Covid-19 à infeção provocada pelo novo coronavírus.
13 de fevereiro Autoridades chinesas mudam a forma de contabilizar e assumir casos de infeção. Passam a contar não apenas os casos com confirmação laboratorial, mas também os que têm confirmação clínica apoiada por exames radiológicos.
14 de fevereiro Segunda morte confirmada fora da China, no Japão.
15 de fevereiro Um turista chinês de 80 anos morre em França. É a primeira morte registada na Europa - o primeiro europeu a morrer no seu continente acontece a 26 de fevereiro.
16 de fevereiro Terceira morte confirmada fora da China, num turista chinês que visitava França.
19 de fevereiro Dois primeiros casos revelados no Irão. No mesmo dia é anunciado que os dois morreram devido ao Covid-19.
20 de fevereiro Autoridades chinesas voltam a alterar a metodologia da contagem de infetados, uma decisão que se reflete numa descida acentuada no número de novos casos. Coreia do Sul regista a primeira morte. Suíça adia uma cimeira internacional sobre saúde devido à epidemia, na qual estaria presente o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) e ministros da Saúde.
21 de fevereiro Autoridades chinesas anunciam que surto está "sob controlo". Itália regista primeira vítima mortal, um italiano de 78 anos.
22 de fevereiro Irão fecha escolas, universidades e centros educativos em duas cidades. País confirma mais de 40 casos de infeção e oito mortes.
23 de fevereiro Autoridade japonesas confirmam que um português, Adriano Maranhão, canalizador no navio Diamond Princess, atracado no porto de Yokohama, deu teste positivo ao vírus da infeção Covid-19. Presidente da China, Xi Jiping, admite que o surto é a mais grave emergência de saúde no país desde a fundação do regime comunista, em 1949. Autoridades italianas ordenam suspensão dos festejos do Carnaval de Veneza. Fundo Monetário Internacional (FMI) considera que epidemia coloca em risco a recuperação económica mundial e manifesta disponibilidade para ajudar financeiramente os países mais pobres e vulneráveis.
24 de fevereiro Comissão Europeia anuncia mobilização de 230 milhões de euros para apoiar a luta global contra o Covid-19. Diretor-geral da OMS avisa que o mundo tem de se preparar para uma "eventual pandemia", considerando "muito preocupante" o "aumento repentino" de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão.
25 de fevereiro O português infetado a bordo de um navio de cruzeiros atracado no Japão é enviado para um hospital de referência local. O especialista que liderou a equipa da OMS enviada à China afirma que o mundo "simplesmente não está pronto" para enfrentar a epidemia.
26 de fevereiro Primeiro caso de contágio na América do Sul. É no Brasil, um homem de 61 anos, de São Paulo, regressado do norte de Itália. Vários países confirmam igualmente os primeiros casos: Grécia, Finlândia, Macedónia do Norte, Geórgia e Paquistão. OMS revela que o número de novos casos diários confirmados no resto do mundo ultrapassou pela primeira vez os registados na China.
27 de fevereiro Arábia Saudita suspende temporariamente a entrada de peregrinos que visitam a mesquita do profeta Maomé e os lugares sagrados do Islão em Meca e Medina, bem como turistas de países afetados pelo coronavírus. Segundo português hospitalizado no Japão "por indícios relacionados" com o Covid-19, também tripulante do navio de cruzeiros Diamond Princess. A DGS divulga orientações às empresas, aconselhando-as a definir planos de contingência para casos suspeitos entre os trabalhadores que contemplem zonas de isolamento e regras específicas de higiene, e para portos e viajantes via marítima, que define que qualquer caso suspeito validado deve ser isolado e que apenas um elemento da tripulação deve contactar com o passageiro.
28 de fevereiro Primeiro caso confirmado na África subsariana, na Nigéria, depois de terem sido identificadas infeções no norte do continente, no Egito e na Argélia. Suíça proíbe pelo menos até 15 de março qualquer evento público ou privado que reúna mais de mil pessoas. Comissão Europeia solicita aos Estados-membros da UE que avaliem os impactos económicos do novo coronavírus. OMS aumenta para "muito elevado" o nível de ameaça do novo coronavírus. Responsáveis da Feira Internacional de Turismo de Berlim anunciam a suspensão do evento, considerado o maior do mundo, que se deveria realizar entre 4 e 8 de março. Governo português reforça em 20% o stock de medicamentos em todos os hospitais do país, além de estar a preparar um eventual reforço de recursos humanos.
29 de fevereiro Governo francês anuncia cancelamento de "todas as concentrações com mais de 5.000 pessoas" em espaços fechados e alguns eventos no exterior, como a meia-maratona de Paris. Primeira vítima mortal nos Estados Unidos da América.
1 de março Governo das Astúrias confirma primeiro caso de infeção pelo novo coronavírus na região espanhola, o escritor chileno Luis Sepúlveda, que esteve recentemente na Póvoa de Varzim, em Portugal. Macau com perdas históricas nas receitas do jogo em fevereiro, menos 87,8% em relação a igual período de 2019, num mês em que os casinos fecharam por 15 dias devido ao surto de Covid-19. Adriano Maranhão, primeiro português infetado no Japão, tem alta hospitalar.
2 de março Confirmados dois primeiros casos em Portugal Funcionários públicos em teletrabalho ou isolamento profilático sem perda de salário em Portugal, segundo um despacho do Governo. Governo português divulga um despacho a ordenar aos serviços públicos que elaborarem planos de contingência para o surto de Covid-19.
3 de março Primeira morte em Espanha. Itália confirma 79 mortes. Número de infetados em Portugal sobe para quatro. Mais de três mil mortos e de 91 mil infetados em todos os continentes, segundo dados da OMS. Os países mais afetados são China, Coreia do Sul, Irão e Itália. Hospitais São João e Santo António, no Porto, esgotaram capacidade de resposta a casos suspeitos, novas unidades são ativadas Comissão Nacional de Proteção Civil passa a funcionar em permanência, para fazer face ao novo coronavírus. Governo português dá cinco dias às empresas públicas para elaborarem planos de contingência. Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed), que gere a política monetária do país, corta em 50 pontos base as taxas de juro, devido ao novo coronavírus. O presidente da Fed, Jerome Powell, considera inevitável que os efeitos do surto alastrem às economias mundiais e alterem o seu normal funcionamento "durante algum tempo". FMI e Banco Mundial anunciam que reuniões de abril, que se realizam anualmente em Washington, vão ser feitas à distância, em "formato virtual".
4 de março Itália, o país europeu mais afetado, fecha todas as escolas e universidades. Tinha então 3,089 infetados e 107 mortos. Número de infetados em Portugal sobre para seis. Em todo o mundo, há registo de mais de 3.100 mortos e de 93.100 infetados em 77 países de cinco continentes. Mais de 290 milhões de jovens sem aulas em todo o mundo, segundo a UNESCO. Os trabalhadores em quarentena em Portugal por determinação de autoridade de saúde vão receber integralmente o rendimento nos primeiros 14 dias, diz despacho do Diário da República. O primeiro-ministro português anuncia linha de crédito para apoio de tesouraria a empresas afetadas pelo impacto económico do surto do novo coronavírus, caso seja necessário, no valor inicial de 100 milhões de euros. Banco Mundial anuncia 12.000 milhões de dólares (cerca de 10.786 milhões de euros) para ajudar os países que enfrentam impactos económicos e de saúde. O setor dos serviços contraiu pela primeira vez na China desde que há registos. FMI diz que crescimento mundial será inferior em 2020 ao de 2019 devido ao impacto da epidemia do novo coronavírus, mas que é "difícil prever quanto". Surto diminuiu exportações mundiais em 50 mil milhões de dólares em fevereiro, segundo uma análise publicada pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento. A Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, no Porto, suspende aulas por ter havido contactos com o quinto infetado.
5 de março Portugal com nove casos de infeção. O número de pessoas infetadas em todo o mundo aumenta para 97.510, das quais 3.346 morreram, em 85 países e territórios. A China é o país mais afetado (80.409 casos e 3.012 mortes); seguido pela Coreia do Sul (6.088 casos, 35 mortes), Itália (3.858 casos, 148 mortes) e Irão (3.513 casos, 107 mortes). Bolsa de Turismo de Lisboa adiada para 27 a 31 de maio Perdas das companhias aéreas mundiais podem chegar aos 113 mil milhões de dólares (101,1 mil milhões de euros), estima a associação internacional de transporte aéreo (IATA). TAP reduz 1.000 voos em março e abril devido a quebra nas reservas, suspende investimentos e avança com licenças sem vencimento. O Fundo Monetário Internacional disponibiliza 50 mil milhões de dólares (cerca de 46,7 mil milhões de euros) para combater o surto.
6 de março 13 casos infetados em Portugal. Número de casos no mundo ultrapassa os 100 mil, das quais 3.456 morreram, em 92 países e territórios. A China (sem as regiões administrativas de Macau e Hong Kong), o país onde a epidemia foi declarada no final de dezembro, soma 80.552 casos e 3.042 mortes. Preço do barril de Brent cai mais de 6%, para 47 dólares, devido à quebra da procura
7 de março Número de infeções em Portugal sobe para 21 Visitas a hospitais, lares e estabelecimentos prisionais da região Norte suspensas temporariamente. A ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, recomenda também o adiamento de eventos sociais. Uma escola de Idães, em Felgueiras, o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), a Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto e o edifício do curso de História da Universidade do Minho foram encerrados por serem instituições relacionadas com casos de pessoas infetadas em Portugal. Governo italiano proíbe as entradas e saídas da Lombardia e de outras 11 províncias próximas para limitar a disseminação do coronavírus, que já causou 233 mortes e 5.061 infetados em todo o país.
8 março Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa decide entrar em quarentena de 14 dias após receber em Belém uma turma de Felgueiras. Mais quatro casos em Portugal, número de infetados sobe para 25. Reino Unido anuncia um aumento de 64 novos casos, elevando-o a um total de 273 casos. Este país regista três mortos. EUA tem 564 infetados, os mortos são 21. Itália confirma 1.492 casos adicionais e 133 mortes. Números totais: 7.375 infetados e 366 mortos. O primeiro-ministro Giuseppe Conte estendeu o bloqueio de quarentena para cobrir toda a região da Lombardia e outras 14 províncias do norte do país. Registado o primeiro morto em África, que ocorre no Egito - um cidadão alemão hospitalizado a 1 de março e depois sofreu insuficiência respiratória causada por pneumonia aguda. DGS encerra escolas e suspende atividades de lazer e culturais nos concelhos de Lousada e Felgueiras por causa do acumular de casos.
9 março Alemanha regista as duas primeiras mortes no país. Infetados aumentam para 1.176. Universidades de Lisboa e Coimbra suspendem todas as aulas presenciais por duas semanas. Itália estende quarentena a todo o país, onde número de mortos atinge 463. Primeiros casos em Chipre significam que todos os países da União Europeia estão atingidos pelo novo coronavírus. Números da Espanha aumentam para 1.231 casos, com 30 mortes. Itália: 9.172 infetados e 463 mortos. França revela que os deputados Guillaume Vuilletet e Sylvie Tolmont estão infetados, havendo cinco deputados da Assembleia com Covid-19. Também foi confirmado que o ministro da Cultura, Franck Riester, havia testado positivo. O número de casos aumentou para 1.412.
10 março Câmara de Lisboa encerra museus, teatros municipais e suspende atividades desportivas em recintos fechados. Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) decreta fecho de museus, monumentos e palácios na sua dependência. Governo português suspende voos para todas as regiões de Itália por 14 dias. O primeiro-ministro italiano Conte estende o bloqueio de quarentena a toda a Itália, incluindo restrições de viagens e a proibição de reuniões públicas. Número de infetados sobe para 10.149, número de mortos é já 631. Portugal: 41 infetados
11 março Organização Mundial de Saúde passa a considerar o Covid-19 como uma pandemia, isto é um surto de doença com distribuição geográfica internacional muito alargada e simultânea. Itália anuncia que o jogador da Juventus Daniele Rugani, colega de Ronaldo, testa positivo para Covid-19. Total de infetados em Itália: 12.462. Total de mortos: 827. Portugal: 59 infetados. Turquia anuncia primeiro caso num homem regressado da Europa. Mais de mil médicos disponibilizam-se para reforçar a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde.
12 março Portugal decide encerrar todos os estabelecimentos de ensino até ao final das férias da Páscoa a partir de 16 de março, encerramento de discotecas, restrições em restaurantes, centros comerciais, serviços públicos e proibição de desembarque de passageiros de cruzeiros. Portugal tem agora 78 pessoas infetadas e ainda zero mortes relacionadas com Covid-19. Estado de alerta declarado em todo o país, com proteção civil e forças e serviços de segurança em prontidão. Região Autónoma da Madeira suspende atracagem de navios de cruzeiro e impõe medição de temperatura a passageiros nos aeroportos. Governo dos Açores fecha escolas e museus, interdita cinemas e ginásios. Hospital de São João anuncia que uma das primeiras pessoas internadas em Portugal com Covid-19 se curou. Em apenas um dia, Itália regista 2651 novos infetados, elevando o número de doentes com Covid-19 para 15.113. Nas mesmas 24 horas, morreram 189 italianos. O total de mortos em Itália é agora 1.016.
13 março Europa toma o lugar da China como maior epicentro do coronavírus, diz a OMS, numa altura em que o crescimento de casos abranda no país oriental (China tem agora 80.815 infetados e 3.117 mortos) e acelera em Itália e no resto do continente europeu. Portugal: 112 infetados com o Covid-19. 61 países da África, Ásia, Europa, Oriente Médio, América do Norte e América do Sul anunciaram ou implementaram fecho total ou parcial de escolas e universidades. Trinta e nove países fecharam todas as escolas, afetando 421,4 milhões de crianças e jovens. Nesta altura são 11 os países que proíbem a entrada de voos de Portugal (e da Europa): Arábia Saudita, Argentina, El Salvador, EUA, Guatemala, Itália, Jordânia, Kuwait, Nepal, República Checa e Venezuela. Estados Unidos proíbem entrada de voos de passageiros vindos do espaço Schengen na Europa (26 países, incluindo obviamente Portugal) durante 30 dias. Venezuela, país de 32 milhões de habitantes, confirma os dois primeiros casos de infetados: uma pessoa vinda dos EUA e outra de Espanha. O país de Nicolas Maduro também proibiu voos vindos da Europa durante um mês. Eslováquia, Malta e República Checa fecham fronteiras com os países membros da EU. Governo permite a funcionários públicos ficar em casa em regime de teletrabalho sempre que funções o permitam. Madeira suspende voos provenientes da Dinamarca, França, Alemanha, Suíça e Espanha, países de transmissão ativa.
Presidente dos EUA, Donald Trump, declara estado de emergência nacional.
UEFA suspende todos os jogos sob a sua égide, incluindo Liga dos Campeões e Liga Europa. República Checa anuncia fecho total de fronteiras a partir de 16 de março.
14 março Número mundial de infetados: 150.054. Total de mortos: 5.617 Portugal: 169 infetados. Nas últimas 24 horas houve 57 novos casos. Não há ainda mortes em Portugal. Ministra da Saúde, Marta Temido, anuncia que Portugal entrou "numa fase de crescimento exponencial da epidemia", com 169 casos confirmados.
Açores e Madeira decidem quarentena obrigatória para todas as pessoas que cheguem às regiões autónomas. Governo de Espanha, onde há mais de 5.700 casos, impõe "medidas drásticas" no âmbito do estado de alerta, proíbe cidadãos de andar na rua, exceto para irem trabalhar, comprar comida ou à farmácia.
15 de março Número de casos em Portugal atinge 245, em todo mundo há quase 160.000 pessoas infetadas e já morreram mais de 6.000.
Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, convoca Conselho de Estado por videoconferência para 18 de março, para discutir a "eventual decisão de decretar o estado de emergência" em Portugal.
Sindicato Independente dos Médicos conta mais de 50 clínicos infetados e mais de 150 em quarentena.
Governo proíbe consumo de bebidas alcoólicas na via pública e eventos com mais de cem pessoas, apelando para que deslocações se limitem ao estritamente necessário.
Autoridade Marítima Nacional interdita atividades desportivas ou de lazer que juntem pessoas nas praias do continente, Madeira e Açores.
16 de março Portugal regista a primeira morte devido ao coronavírus. O número de infetados pelo novo coronavírus sobe para 331. Segundo a Direção-Geral da Saúde, há 2.908 casos suspeitos, dos quais 374 aguardam resultado laboratorial.
Governo português anuncia o controlo de fronteiras terrestres com Espanha, passando a existir nove pontos de passagem e exclusivamente destinados para transporte de mercadorias e trabalhadores que tenham de se deslocar por razões profissionais.
Portugal vai também intensificar o controlo sanitário nos aeroportos.
Macau decreta quarentena obrigatória de 14 dias para quem chegar ao território, com exceção da China continental, Taiwan e Hong Kong.
Assembleia da República dispensa funcionários inseridos em grupos de risco e promove o trabalho à distância e rotatividade.
17 de março O número de infetados sobe para 448.
É anunciado que o SNS foi reforçado com mais 1.800 médicos e 900 enfermeiros e que há 30 profissionais de saúde infetados, 18 dos quais médicos. E é também anunciado o nascimento do primeiro bebé filho de uma mulher infetada. O bebé não foi infetado.
O governo regional da Madeira anuncia o primeiro caso na região.
O município de Ovar fica sujeito a "quarentena geográfica" e o Governo declara o estado de calamidade pública para o concelho, que passa a ter entradas e saídas controladas. A circulação de pessoas nas ruas também é controlada.
António Costa anuncia a suspensão das ligações aéreas de fora e para fora da União Europeia.
A CP reduz em 350 as ligações diárias.
18 de março O Presidente da República decreta o estado de emergência por 15 dias, depois de ouvido o Conselho de Estado e de ter obtido o parecer positivo do Governo e da aprovação do decreto pela Assembleia da República.
O estado de emergência vigora até 02 de abril.
António Costa diz que "o país não para" e que o Governo tudo fará para manter a produção e distribuição de bens essenciais.
O estado de emergência contempla o confinamento obrigatório e restrições à circulação na via pública. A desobediência é crime e pode levar à prisão.
No dia em que o Governo revela um conjunto de linhas de crédito para apoio à tesouraria das empresas de 3.000 milhões de euros, é também anunciado que as contribuições das empresas para a Segurança Social são reduzidas a um terço em março, abril e maio, e que as empresas vão ter uma moratória concedida pela banca no pagamento de capital e juros.
O número de infetados sobe para 642 e regista-se uma segunda morte. O Alentejo regista os primeiros dois casos.
19 de março O número de vítimas mortais sobe para três em Portugal, com os casos confirmados a ascenderem a 785. Graça Freitas anuncia que quem apresentar sintomas ligeiros ou moderados da doença é seguido a partir de casa.
O primeiro-ministro anuncia, após a reunião do Conselho de Ministros, as medidas e regras para cumprir o estado de emergência, incluindo o "isolamento obrigatório" para doentes com covid-19 ou que estejam sob vigilância. Os restantes cidadãos devem cumprir "o dever geral de recolhimento domiciliário". A regra é que os estabelecimentos com atendimento público devem encerrar e o teletrabalho é generalizado.
A proposta de lei do Governo com as medidas excecionais é de imediato promulgada pelo Presidente da República.
É também anunciado que o Governo criou um "gabinete de crise" para lidar com a pandemia e que suspendeu o pagamento da Taxa Social Única.
O governo dos Açores determina a suspensão das ligações aéreas da transportadora SATA entre todas as ilhas e a TAP anuncia que vai reduzir a operação até 19 de abril, prevendo cumprir 15 dos cerca de 90 destinos.
20 de março Com o país recolhido começam a destacar-se respostas da sociedade civil e das autarquias para fazer face à pandemia, anunciam-se ações de solidariedade para com os mais necessitados.
O Governo reúne-se em Conselho de Ministros para aprovar um conjunto de medidas de apoio social e económico para a população mais afetada. António Costa anuncia que é adiado para o segundo semestre o pagamento do IVA e do IRC, a prorrogação automática do subsídio de desemprego e do complemento solidário para idosos e do rendimento social de inserção.
É também anunciado que as celebrações religiosas, como funerais, e outros eventos que impliquem concentração de pessoas são proibidos, e que as autoridades de saúde ou de proteção civil podem decretar a requisição civil de bens ou serviços públicos se necessários para o combate à doença.
Portugal tem seis vítimas mortais e 1.020 casos confirmados.
21 de março O número de mortes sobe para 12, o dobro do dia anterior, e os infetados são 1.280.
Marta Temido estima que o pico de casos aconteça em meados de abril, e diz que Portugal vai adotar um novo modelo de tratamento de infetados, que passa pelo aumento do acompanhamento em casa. Graça Freitas estima que a taxa de letalidade é de cerca de 1%, mas avisa que pode mudar.
O Governo anuncia que vai prorrogar os prazos das inspeções automóveis e reduz os leilões nas lotas, criando uma linha de crédito até 20 milhões de euros para o setor da pesca.
Com o país em casa surgem as primeiras notícias de infeções em lares. Na Casa de Saúde da Idanha, em Belas, arredores de Lisboa, é anunciado que 10 utentes estão infetados. Um lar em Vila Nova de Famalicão fica sem funcionários depois de oito terem dado positivo ao covid-19.
O ministro dos Negócios Estrangeiros anuncia que a TAP prevê realizar voos para a Praia e Sal (Cabo Verde), Bissau (Guiné-Bissau) e São Tomé para transportar portugueses para casa.
22 de março O número de mortes associadas à covid-19 sobe para 14 e o de infetados para 1.600 (mais 320).
Num domingo de sol muitas pessoas saem à rua e na Póvoa de Varzim a polícia é chamada devido ao "desrespeito ao estado de emergência" (multidão a passear). Em Coimbra a PSP também é chamada por causa de um aglomerado na Mata Nacional do Choupal.
São detidas sete pessoas no país por crime de desobediência.
Os utentes do lar de Famalicão são transferidos para o Hospital Militar do Porto.
As autoridades iniciam o repatriamento de mais de 1.300 passageiros que chegam a Lisboa num navio de cruzeiro (entre eles estão 27 portugueses).
O Governo assina três despachos, que entram em vigor no dia seguinte, para garantir serviços essenciais de abastecimento de água e energia, recolha de lixo e funcionamento de transportes públicos.
O presidente da Associação Nacional de Freguesias, Jorge Veloso, pede que as pessoas das cidades e os emigrantes evitem ir para o interior.
23 de março Portugal tem 23 mortes e 2.600 infeções.
As queixas sobre a falta de equipamentos para quem mais necessita, como profissionais de saúde ou de segurança, começam a surgir. O Governo anuncia que o Estado vai comprar à China equipamentos de proteção e que espera quatro milhões de máscaras. Cinco polícias e dois técnicos sem funções policiais estão infetados numa esquadra de Vila Nova de Gaia.
O Governo cria uma linha de apoio de emergência de um milhão de euros para artistas e entidades culturais e reforça com 50 milhões de euros os acordos de cooperação com o setor social (responsável pelos lares de idosos ou centros de dia).
Uma residência para idosos na Maia, Porto, coloca em isolamento 46 idosos devido a casos de infeção.
24 de março O número de mortes sobe para 33 e o número de infeções passa a 2.362.
A secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, anuncia a ativação do Plano Nacional de Emergência de Proteção Civil, no mesmo dia em que são já 27 as detenções por violação das regras do estado de emergência.
O Presidente da República admite que o pico da pandemia possa ocorrer depois de 14 de abril. No parlamento, o presidente e líder parlamentar do PSD abandona o plenário depois de uma discussão sobre o número excessivo de deputados na bancada social-democrata.
A Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) lança uma linha de financiamento de 1,5 milhões de euros para investigação e "implementação rápida" de respostas às necessidades do SNS.
Em Vila Real, o presidente da Câmara alerta para a existência de 20 utentes e funcionários de um lar infetados com covid-19.
O Rali de Portugal é adiado.
25 de março Portugal regista mais 10 mortes chegando às 43, quando são contabilizadas 2.995 infeções.
O secretário de Estado da Saúde diz que o sistema tem capacidade de fazer 8.600 testes diários. A questão de se fazer mais testes ou não divide opiniões.
A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil coloca em alerta laranja, o segundo mais grave, os distritos de Lisboa, Porto e Aveiro.
O ministro de Estado e das Finanças diz que o país "nunca esteve tão bem preparado" para enfrentar uma crise como a causada pelo vírus.(lol) O Banco de Portugal anuncia que é facilitada a concessão de crédito pessoal por parte dos bancos.
A Câmara de Melgaço implementa um cerco sanitário na aldeia de Parada do Monte, com 370 habitantes, após confirmação de três casos de infeção.
A ASAE diz que já fiscalizou 41 operadores económicos por causa de especulação de preços.
26 de março Há 3.544 infeções e morreram 60 pessoas.
Há doentes a ser tratados com medicamentos da malária e do ébola, ainda que sem certezas, diz Graça Freitas.
O Banco de Portugal estima que o Produto Interno Bruto caia este ano 3,7% num cenário base e 5,7% num cenário adverso, devido à pandemia. A taxa de desemprego deve subir acima dos 10%. No dia em que Marcelo Rebelo de Sousa admite prolongar o estado de emergência reúne-se o Governo em Conselho de Ministros e aprova a suspensão até setembro do pagamento dos créditos à habitação e de créditos de empresas. Aprova também medidas excecionais de proteção dos postos de trabalho (como redução temporária de horário ou suspensão do contrato) e uma proposta de lei que prevê um regime de mora no pagamento das rendas, habilitando ainda o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana a conceder empréstimos a inquilinos.
Na Maia um lar de idosos infetado é evacuado, em Vila Real aumentam as infeções num lar de idosos, de 20 para 45.
É anunciado que quem aterrar nos Açores tem confinamento obrigatório de 14 dias.
27 de março No lar da Nossa Senhora das Dores, em Vila Real, são agora 88 os infetados, entre os quais 68 utentes.
Em Portugal o número de mortes chega a 76 e o número de infetados sobe para 4.268.
Graça Freitas diz agora que o pico da pandemia pode afinal ser só em maio.
António Costa anuncia a chegada a Portugal de milhares de equipamentos de proteção individual e o Laboratório Militar também anuncia que começou a fazer testes de diagnóstico. Outras entidades como o Instituto de Medicina Molecular também começam a fazer testes.
Mil e quinhentos enfermeiros voluntariam-se para reforçar o apoio à linha telefónica SNS24, segundo a bastonária da Ordem.
As forças de segurança detiveram, desde o início do estado de emergência, 64 pessoas por crime de desobediência, e mandaram encerrar 1.449 estabelecimentos. O balanço é do MAI, segundo o qual também foram impedidas de entrar em Portugal 850 pessoas e uma delas foi detida. A detida, viria a confirmar-se depois, estava infetada com covid-19.
No Algarve, quando se aproxima o período da Páscoa, que costuma encher os hotéis, a associação empresarial do setor diz que a hotelaria está praticamente encerrada.
28 de março O número de mortes ascende à centena e os infetados são 5.170. Marta Temido também diz que o pico da epidemia só deve acontecer no final de maio e que as medidas de contenção social estão a abrandar a curva de infeções.
O Presidente da República pede aos portugueses para que, no período da Páscoa, continuem a respeitar as regras de contenção. A PSP interpela todas as pessoas que atravessam a Ponte 25 de Abril, no sentido norte-sul, e são divulgadas imagens de grandes filas de carros, alguns deles, diz a PSP, em incumprimento do estado de emergência.
É publicada uma retificação do diploma inicial do "lay-off" simplificado, acautelando que nenhum trabalhador de empresas que recorram e esse apoio pode ser despedido.
O Governo anuncia que vai organizar uma operação de transporte aéreo para o regresso temporário a Portugal de professores portugueses que estão em Timor-Leste.
29 de março Portugal contabiliza 119 mortes e 5.962 casos de infeções p. O número de pessoas internadas nos cuidados intensivos é de 138 doentes, um aumento para o dobro em relação ao dia anterior.
As notícias sobre infeções em lares continuam, como em Foz Côa, Guarda, onde o lar tem 47 infetados num universo de 62 idosos, segundo o provedor.
Em Ovar, onde foi declarado o estado de calamidade pública, são cinco as mortes, uma delas uma jovem de 14 anos, diz o vice-presidente da Câmara.
Nos Açores, o concelho de Povoação, na ilha de S. Miguel, é também submetido a um cordão sanitário.
Surgem notícias, através de sindicatos, de que há pelo menos um guarda prisional infetado do estabelecimento de Custoias e de uma auxiliar de ação médica no hospital prisional de Caxias. O Governo diz que vai ponderar criteriosamente a recomendação das Nações Unidas para libertação imediata de alguns presos mais vulneráveis.
30 de março António Costa avisa que Portugal "vai entrar no mês mais crítico desta pandemia", no dia em que os números da DGS indicam que há 140 mortes e 6.408 infetados.
Segundo o primeiro-ministro, com ou sem estado de emergência vai ser preciso prolongar as medidas que têm sido adotadas. E, diz também, que na próxima semana pretende cobrir o país com despistes de covid-19 em lares.
O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, afirma que o número de profissionais de saúde infetados chegou aos 853, e Graça Freitas admite impor-se uma cerca sanitária na região do Porto, motivando fortes críticas.
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, diz que a segurança social recebeu 1.400 pedidos de empresas que pretendem aderir ao "lay-off" simplificado.
(Continua nos comentários)
O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, admite nacionalizações e diz que seria "um erro trágico" reagir com medidas de austeridade à crise provocada pela pandemia, defendendo antes o apoio ao crescimento da economia.
O Governo pede a abertura de "forma condicionada" das juntas de freguesia onde estão instalados postos dos CTT, lembrando que esses serviços garantem a entrega de pensões. A empresa anunciou que ia antecipar a emissão e pagamento de vales em dois dias úteis.
Marcelo Rebelo de Sousa diz que se impõe manter as medidas de contenção que vigoram em Portugal.
A TAP avança para um processo de "lay-off" para 90% dos trabalhadores.
O governo dos Açores prolonga a situação de contingência no arquipélago até 30 de abril.
(Limite de Caracteres continua nos Comentários)
submitted by HairlessButtcrack to portugal [link] [comments]


2020.04.22 22:01 AHCSM COVID-19, Eletromagnetismo e Vibração

Como qualquer outro vírus, (COVID-19) possui vibração baixa com uma estrutura de circuito eletromagnético fechado, com uma frequência de ressonância de cerca de 5,5 Hz 14,5 Hz.
Nas faixas mais altas, não è ativo e, a partir dos intervalos de 25,5 Hz e acima, o vírus morre ....
Para uma pessoa que vive em altas vibrações, isto é, na Alma, não é mais perigosa do que infecções respiratórias agudas, porque o corpo de um homem saudável "vibra" nas faixas mais altas.
Apenas ocasionalmente, por várias razões, desce em vibrações mais baixas.
As razões para isso podem ser vários distúrbios no equilibrio energético ... (fadiga, exaustão emocional, hipotermia, doenças crônicas, tensão nervosa etc.) ....
O vírus na natureza, ou seja, fora do corpo, não é resistente ...
A ressonância de frequência média total da Terra é agora de 27,4 Hz e, portanto, seria destrutiva para o vírus, mas há lugares em que essa frequência é reduzida, ou seja, zonas geopáticas criadas naturalmente ou artificialmente ... (hospitais, prisões, Linhas de energia, veículos elétricos subterrâneos e públicos, shopping centers, escritórios, estabelecimentos de bebidas, etc.) onde as vibrações caem para níveis abaixo de 20 Hz ...
PARA OS - IN HUMANOS COM VIBRAÇÕES BAIXAS, ESTE VÍRUS É PERIGOSO
• a dor produz vibração - de 0,1 a 2 Hz; * MEDO - de 0,2 a 2,2 Hz; !!! • ressentimento - de 0,6 a 3,3 Hz; • irritação - de 0,9 a 3,8 Hz; • ruído - de 0,6 a 1,9 Hz; • temperamento quente - 0,9 Hz; • flash de fúria - 0,5 Hz; • raiva - 1,4 Hz; • orgulho - 0,8 Hz; • orgulho (megalomania) - 3,1 Hz; • abandono - 1,5 Hz; • superioridade - 1,9 Hz;
MAS: • generosidade - 95 Hz; • obrigado (obrigado) - 45 Hz; • sinceros agradecimentos - a partir de 140 Hz; • um senso de unidade com outras pessoas - 144 Hz e além; • compaixão - a partir de 150 Hz ou mais (mas a pena é de apenas 3 Hz); • amor (como diz o ditado), isto é, quando uma pessoa entende que o amor é um sentimento bom, brilhante e com grande força, mas ainda não aprendeu a amar com o coração) vibração - 50 Hz; • o amor que uma pessoa gera com o coração por todas as pessoas, sem exceção e todos os seres vivos - a partir de 150 Hz; • amor incondicional, sacrificial e universal - a partir de 205 Hz.
Por milênios, a frequência do nosso planeta tem sido de 7,6 Hz. Os físicos chamam de ressonância Schumann e é devida à batida gerada por um raio na cavidade entre a Terra e a ionosfera, que atua como um guia de ondas e ressoador
Um homem se sentia confortável nessas condições, uma vez que a frequência de vibração de seu campo de energia tinha os mesmos parâmetros - 7,6 - 7,8 Hz.
No entanto, a frequência de Schumann começou recentemente a crescer rapidamente.
Seguimos a dinâmica: janeiro de 1995 - 7,80 Hz, janeiro de 2000 - 9,30 Hz, janeiro de 2007 - 9,80 Hz, janeiro de 2012 - 11,10 Hz, janeiro de 2013 - 13,74 Hz, janeiro de 2014 - 14,86 Hz fevereiro de 2014 - 14,99 Hz; Março de 2014 - 15,07 Hz; Abril de 2014 - 15,15 Hz.
Mesmo se considerarmos a situação do ponto de vista científico, fica claro que uma pessoa que não aumenta suas vibrações logo deixará o plano terreno de uma maneira ou de outra, e nem as posições altas nem o capital acumulado o ajudará ...
Portanto, não devemos ter medo!
Podemos aumentar as vibrações trabalhando consigo mesmo e estimulando o comportamento consciente.
P. S. Qualquer emoção negativa fecha o acesso à consciência limpa.
Instituto Midra
submitted by AHCSM to brasilivre [link] [comments]


2020.03.27 17:37 TeresaFMendes Apoio pedagógico a docentes para formação em regime de Learning

Perante a quarentena exigida às escolas e universidades pela covid-19, foram disponibilizadas plataformas para ensino à distância, e muitos docentes já as utilizam.
No entanto, a falta de formação e de preparação destes docentes, não menosprezando o seu esforço e boa vontade, faz com que não se aproveite todo o potencial que o ensino à distância pode trazer ao ensino e à aprendizagem ao se "clonar" o método presencial, baseada em palestras, para o ambiente online.
É talvez altura de se ousar uma inovação, embora se tenha de ultrapassar uma resistência por parte dos docentes.
Para exemplificar, e no espirito de entreajuda nesta fase difícil, junto envio um texto - correspondência online - que explica resumidamente um método de ensino à distância com grandes vantagens para todos os intervenientes.
Fico ao dispor para esclarecimentos e até acompanhamento de "instructional designer" para quem o solicitar.


"Olá professor
Fico satisfeita de ver feliz por uma boa causa. Isto da quarentena é um tédio para os mais afoitos. A razão do meu “oferecimento” é assim principalmente por sobra de tempo e de desafios intelectuais.
Pelo que, analisando a sua descrição, vejo praticas interessantes, aulas virtuais para grupos pequenos, mas … não será pouco eficiente dar a mesma aula 3 ou 4 ou 10 vezes?
Claro que, nessas condições a relação entre professor e alunos se estreita, o que é bom, mas pouco sustentável, para além de que se perde muito "tempo de professor” em logística.
Sendo assim, e porque fui completamente surpreendida pela eficácia de uma metodologia para curso online exclusivamente assíncrono, que me convenceu que a minha percepção de décadas como formadora estava completamente errada, vou ousar sugerir-lhe que complemente a sua abordagem de grupos pequenos com este método assíncrono que potência o networking e a aprendizagem dos alunos com os seus colegas (e já sabe o que penso sobre este tema, particularmente no nosso curso).
A motivação é fácil de explicar: os alunos aprendem tanto com o professor, como como o auto-estudo, como com os seus colegas. Deixo-lhe livre colocar as respectivas percentagens mas o método sugere 1/3, 1/3, 1/3.
O ovo de colombo deste método, (para além da optimização do tempo/custo do professor) é a de estabelecer grupos de alunos “fechados” com 8 a 12 pessoas, para ter massa critica, escolhidas aleatoriamente ou a gosto (temas), tantos grupos quantos os necessários. O trabalho é desenvolvido para um grupo de 8-12 e todos os grupos funcionam com o mesmo conteúdo e método de forma mais ou menos “estanque”.
No meu caso, esta foi uma das características mais interessantes do curso, pois mesmo sendo “estanque” todos poderíamos ir “espreitar” o trabalho dos outros grupos (por exemplo o que o aluno com mesmo numero de grupo que eu teria respondido). Isso criou pontes entre os vários grupos (como por exemplo o de Portugal e o do Brasil), onde se discutia inclusivamente a dinâmica de grupo face a uma cultura parecida em contraste com o grupo do Japão, com cultura completamente diferente. Entre o grupo de Portugal e do Brasil decidimos criar o papel de “relator” (aliás “espião” hehe) onde, à vez, rotativo cada semana, alguém do grupo escrevia um relatório sobre o que de mais interessante havia passado no outro grupo (particularmente se não tivesse sido discutido no nosso grupo). Esses dois relatórios eram partilhados entre os dois grupos. No meu curso havia mais de 20 grupos e obviamente não há tempo para “espreitar” todos eles.
E este exemplo mostra a segunda característica principal do método: uma abordagem de trabalho colaborativa (amigo não empata amigo, e toda a contribuição é bem vinda), e não uma abordagem cooperativa, que são o que chamamos habitualmente trabalhos de grupo (quando um falha alguém tem de compensar para que o trabalho fique completo). (ver nota 1)
Qual o papel do instructional designer? Trabalhar com o professor e adaptar os conteúdos. Basicamente é o seguinte:
- A partir do plano de aulas (semanais) - solicitar que o professor grave em video de uma hora para cada aula. (o video tem de ser gravado com uma distancia curta que dê a impressão de conversa olhos-nos-olhos).
- Distribuir ao aluno um conjunto de textos - escrito pelo professor (powerpoint, white paper) sobre o mesmo tema, assim como as leituras obrigatórias e também facultativas (para alunos que se interessem em particular por esse tema).
- Desenhar um conjunto de 8-12 perguntas abertas, que abranjam todo o conteúdo (obrigatório) da aula. As perguntas terão de ser abertas, e feitas de forma a solicitar a partilha de uma experiência pessoal parecida com o exposto, a comparação de duas coisas, a elaboração de pontos fortes e fracos face a uma situação existente (o caso concreto do aluno) ou sugerida, etc. Cada aluno responde exclusivamente a uma das perguntas, (máximo 200 palavras) a que corresponde ao seu # de aluno no grupo, e todas as respostas ficarão visíveis para todo o grupo.
- É mandatório que cada aluno escolha uma resposta de um colega e lhe dê feedback (máximo 200 palavras) . Esta dinâmica tem um efeito exponencial. ao fim de 3 semanas , já todos os alunos interagiram com todos os outros, pois na primeira semana, já interagimos com um colega e, se a nossa resposta foi interessante alguém interagiu connosco e assim a “conversa” flui”.
- Pela enorme quantidade de interacções assim desenvolvidas, o método inclui também a definição à partida de um membro do grupo, (tarefa rotativa), de fazer um resumo da semana e principalmente que coleccione os links sugeridos e debatidos pelos colegas. Esse documento semanal é extremamente interessante e a regra é que cada link terá de ser classificado numa categoria, ter a data em que foi acedido, quem o sugeriu e 3 linhas descritivas desse autor sobre porque o sugeriu. Nós chamámos a esta tarefa o “colaboratorium”.
- Este método implica um esforço do aluno entre 4 a 6 horas semanais. No mínimo,uUma hora para ver o video, duas horas para ler os textos, 40 minutos para escrever a resposta à sua pergunta e 20 minutos para escolher e dar o feedback a um colega. A semana começa à quarta-feira com a disponibilização das perguntas, leituras obrigatórias e facultativas e dos “papeis” que cada aluno deverá desempenhar nessa semana e a interacção fecha à meia noite da terça feira da semana seguinte. Os videos semanais podem estar todos disponibilizados antecipadamente.
- A avaliação é por feita pr participação. Quem cumprir as regras das semanas, passa, quem não consegue cumprir as regras (durante duas semanas) não passa (aliás desiste). Para os que o desejarem poderá haver um trabalho final, classificado, com uma dimensão máxima de palavras, e cujo tema é escolhido pelo próprio aluno e aprovado pelo professor . (Penso que este formato, participação e trabalho final, seria adequado ao seu curso neste mestrado).
- Durante o curso o professor tem acesso a todos os conteúdos, mas nunca intervém.
- De referir que o principal problema é tecnológico. problemas de firewall, acessos etc, pelo que terá de existir um HelpDesk informático, mas não de conteúdo. às vezes é necessário um “moderador” para impedir relações “toxicas” entre os alunos.
- Tem de ser escrito um documento inicial para os alunos para disciplinar a comunicação, e forçar a sua implementação, senão é o caos. (nota 2)
De referir ainda a componente lúdica que esta abordagem proporciona. Eu, mesmo depois de ter treinado o trabalho da semana, diariamente, antes de ir trabalhar, ligava-me à plataforma, e, antes de sair, voltava a ligar-me, para ver o que tinha acontecido entretanto. Há colegas interessantíssimos, outros absolutamente idiotas que são “insultados” com a mais fina “netettiquete”, outros com os quais ficamos amigos, outros que nos surpreendem com as suas capacidades de organização e empatia e os brasileiros eram simplesmente hilariantes. O (senhor professor) japonês fez harakiri virtual (em português chama-se “birra”) no fim do curso, quando ninguém quis trabalhar com ele (na tal componente cooperativa).
Bom, e assim matei duas horas de tédio. :)
Espero que tenha gostado e que possa tirar ideias para o seu curso.
Um beijo à distancia
Teresa
Nota 1: também estudamos o método cooperativo, mas foi tão difícil e conflituoso que realmente não vale a pena.
Nota 2: na ultima semana do meu curso a professora retirou todas as regras (que todos já conhecíamos) e … foi o caos. Eu desisti de trabalhar nessa semana- fiz a minha parte e pronto. Mais ilustrativo não podia ter sido."
submitted by TeresaFMendes to BeyondCovid19 [link] [comments]


2020.03.21 03:55 YoanaCarmo Cidades de Santa Catarina estão criando barreiras sanitárias

Cidades de Santa Catarina estão criando barreiras sanitárias
Gente, como está a situação na cidade e estados de vocês em questão de bloqueios em limites de municípios e estados? Aqui em Santa Catarina surpreendentemente o governador tá sendo bastante sensato.
Nesta semana declarou estado de emergência, se não me engano, o primeiro estado a fazer isso, sem falar que já anunciou uma série se medidas pra conter o corona vírus. Por 30 dias eventos de qualquer tipo não podem acontecer, bem como serviços não essenciais como shoppings, restaurantes e etc devem estar fechados. Transportes municipais, intermunicipais, interestaduais e internacionais estão proibidos por pelo menos 7 dias (acho que vai ser estendido) o que levou a muitas empresas a ir pro home office, apesar da indústria estar ainda funcionando. Além disso agrupamentos estão proibidos em locais públicos.
Aqui no Vale do Itajaí, muitas cidades estão fazendo barreiras sanitárias nos limites dos municípios, por exemplo na cidade onde vivo, Indaial (que além disso já tem tentas em diversos lugares para atender primariamente pacientes com sintomas do corona, e carros de som pela cidade alertando a população), Blumenau, Timbó, Florianópolis, Balneário Camboriú, Itajaí (entre outras cidades do sul do estado com transmissão comunitária acentuada) entre muitas outras. Em algumas só entram moradores com comprovante de residência.
Estou positivamente surpresa com as movimentações no estado e municípios já que nosso governo federal têm sido extremamente relapso. Como está na cidade de vocês? quem é de SC, coloque mais relatos por aqui, quero mais percepções do estado!
https://preview.redd.it/kizdd3wkxxn41.jpg?width=750&format=pjpg&auto=webp&s=05237f69bbd2d9cd503cd6eab3a6709c459680e7
https://preview.redd.it/62dq20wkxxn41.jpg?width=960&format=pjpg&auto=webp&s=f0a4648b8622ca2bd7fe0168229cf4fa9a727942

Vídeo de avião passando em praias catarinenses alertando sobre o COVID-19: https://www.nsctotal.com.bcolunistas/dagmara-spautz/video-aviao-sobrevoa-praias-de-santa-catarina-com-faixa-que-pede-para
Ônibus de turismo impedidos de entrar em floripa: https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2020/03/20/coronavirus-com-acesso-restrito-onibus-de-turismo-sao-barrados-na-entrada-de-florianopolis.ghtml
Fontes: https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2020/03/19/municipios-de-sc-fazem-bloqueios-nos-limites-entre-cidades-como-prevencao-ao-coronavirus.ghtml
https://www.nsctotal.com.bnoticias/coronavirus-novo-decreto-do-governo-de-sc-fecha-divisas-do-estado-e-proibe-agrupamentos-em
https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2020/03/19/balneario-camboriu-monitora-entrada-de-veiculos-e-passageiros-de-cidades-com-transmissao-comunitaria.ghtml
http://www.engeplus.com.bnoticia/geral/2020/prefeitos-do-sul-de-santa-catarina-criam-decretos-para-tirar-publico-das-praias
submitted by YoanaCarmo to coronabr [link] [comments]


2020.03.17 13:40 Taigazord SC - 7 casos confirmados, aulas suspensas em todo o estado por 30 dias, PJSC suspendeu prazos e audiências, consultas e cirurgias eletivas suspensas - compilado de informações do estado

O estado de SC suspendeu todas as aulas das redes estaduais, municipais e particular por 30 dias, começando na quinta-feira. Terça e quarta-feira as faltas serão abonadas e o conteúdo será apenas de revisão. https://www.nsctotal.com.bnoticias/coronavirus-governo-de-sc-suspende-aulas-em-todas-as-redes-de-ensino
A maioria das universidades também já suspenderam as aulas.
Não consegui encontrar nada a respeito das creches.
Mais cedo, Florianópolis já havia suspendido as aulas por 15 dias a partir de terça-feira: https://www.nsctotal.com.bcolunistas/renato-igocoronavirus-em-florianopolis-prefeitura-suspende-aulas-por-15-dias
"O governo decidiu também suspender eventos públicos com mais de 200 pessoas em locais abertos ou 100 pessoas em lugares fechados, além de restringir eventos que envolvam a terceira idade. "

Florianópolis fechou cinemas, teatros, museus etc: https://www.nsctotal.com.bnoticias/florianopolis-amplia-medidas-contra-o-coronavirus-suspende-aulas-e-fecha-cinemas-e-outros

O Poder Judiciário suspendeu os prazos, audiências e sessões de julgamento até dia 31/03: https://www.tjsc.jus.bweb/imprensa/-/coronavirus-pjsc-aprova-restricao-dos-servicos-externos-na-justica-catarinense?inheritRedirect=true&redirect=%2F Magistrados e servidores estão sendo orientados a fazer home office quando possível.
Várias empresas já adotaram o home office: https://www.nsctotal.com.bcolunistas/pedro-machado/home-office-eventos-suspensos-viagens-adiadas-como-o-coronavirus-afeta-as

São 7 casos confirmados até o momento, nas cidades de Florianópolis, Joinville, Rancho Queimado e Braço do Norte/Içara. https://www.nsctotal.com.bnoticias/setimo-caso-de-coronavirus-em-santa-catarina-e-confirmado-pelo-ministerio-da-saudeHá muita reclamação na demora para o resultado dos exames.

Em Blumenau determinaram que os restaurantes mantenham distância mínima de 1,5m entre as mesas, mas não sei como está funcionando. Tem muito lugar que para cumprir isso vai ter que atender só 1 ou 2 mesas por vez.
Detran SC autorizou emissão de documentos de veículo pela internet (e ter o documento no aplicativo): https://omunicipioblumenau.com.bcoronavirus-detran-em-sc-autoriza-emissao-de-documento-de-veiculos-em-casa/?fbclid=IwAR3AenGAV2umG2cOmBDvnSE4AEVtbO1bbgO2WWG-pUlRwpoXHP8UL8T9hog
submitted by Taigazord to coronabr [link] [comments]


2019.10.26 18:55 pegasus29 [OC] O 3-4-3 e como realçar a melhores armas do FCP

Começo por dizer que isto é apenas a minha interpretação das nossas melhores qualidades e da melhor forma de as potenciar. Não digo saber mais que outrem mas que existem alternativas a explorar e o apontar do dedo não terá de recair unicamente nos jogadores, mas também no modelo de jogo, senão mais.
Modelo Inicial: https://imgur.com/8TLJHmS
Como pode o Porto colocar mais um elemento defensivo em troca de um dos seus mais ofensivos em campo e tornar-se mais perigoso, mais versatil e mais estável? Quais são na verdade os seus maiores talentos e os quais que tem maior possibilidade de crescer notro ambiente? Em termos de valor concreto atual (tirando o baixo de forma que neste momento parece alastrar-se a equipa inteira), os melhores jogadores do Porto serão provavelmente o Alex, Corona, Danilo, Uribe, Pepe e Marchesin. E quais o que devidamente utilizados ou colocados num ambiente mais propicio ao seu futebol, poderiam entrar ou até ultrapassar aquele lote de jogadores? Luis Diaz, Baro, Nakajima, Esteves, Fabio e Diogo Leite são valores que para mim saltariam logo a vista. O único a sair prejudicado? A infame dupla de PL's pura e o correbol. Até o proprio Marega poderia ganhar uma nova vida neste sistema, assim como Ze Luis poderia dar mais do que mostra.
A colocação de um terceiro central como libero é a primeira vista uma adição defensiva numa equipa com problemas ofensivos mas o efeito que teria nas restantes posições seria de criar estabilidade para que a equipa possa jogar sem o receio de um erro criar perigo critico e dai não ter de recorrer a bola longa e possibilitar que a criatividade/individualidade venha ao de cima sem as amarras da rigidez de papeis atuais ou da necessidade de ter 4 pulmões de forma a interpretar o seu papel ofensivo e defensivo sem compreter nehum dos dois.
Neste momento, há duas soluções para este papel de libero no plantel. Com as devidas diferenças de caracteristicas, tanto Leite como Mbemba poderiam ser usados neste papel. Leite com a sua capacidade de passe ou o Mbemba com uma melhor interpretação dos espaços a preencher.
Assim como maior parte do plantel teria espaço neste modelo, que conforme a imagem, não tem jogadores especificos mas sim posições/papeis.
GK- Marche; D.Costa / DC: Marcano, Pepe, Leite, Mbemba / Libero: Mbemba, Leite / Ala esq: Alex / Ala dir: Corona/Tomas / MCE: Danilo, Loum / MCD: Uribe, Oliveira / Av esq ou SA: Luis Diaz, Fabio Silva / Av dir ou 10: Otavio, Nakajima, Baro / PL: Ze Luis
Começando pela fase de construção inicial: https://imgur.com/a/9k8NDPw
Poderia ser feito de 2 formas consoante pressão adversária, mas sempre com inicio a três, algo que o Porto já o faz. Contra pressão alta, o Libero baixa ligeiramente entre os centrais, dando lhes linha de passe e obtendo posição privilegiada para se necessário quebrar a pressão com transporte ou bola na profundidade. No entanto, um dos médios baixa e o 10 ocupa o seu espaço assim como o PL posiciona-se entre os centrais adversarios e o SA fica nas entre-linhas, preferencialmente os médios mais capazes na construção recuada como o Uribe e o Oliveira, criando uma triangulação com os defesas, linha do meio campo e o ala-central.
Contra Pressão baixa, o libero sobe acima dos centrias, colocando-se como um médio defensivo e o FCP posiciona-se num 4-4-2 losango fechado com os alas a dar largura. Continua a saida em triangulação mas com o bloco mais subido.
Ambas possibilitam várias alternativas de ataque sejo pela saida organizada, transição rapida pelas alas ou transporte dos médios ou busca na profundidade (sem ser em balão) do SA e PL.
Disposição em ataque organizado no meio campo adversário: https://imgur.com/M5kjbO2 Disposição em ataque pelas alas (exemplo lado esq, aplicavel no lado contrario): https://imgur.com/t0h9kbn
Depois de chegados ao meio-campo adversario, o FCP dispunha de poder construir pelo meio atraves de troca pelo meio em triangulações, com o 10 entre-linhas para oferecer a equipa o remate de meia distancia, ultimo passe para os avançados ou colocação nas alas para o cruzamento. Aquando a procura por um dos lados do ataque, dependendo da cobertura feita, o SA ataca o primeiro poste ou chega-se ao ala para dar linha de passe e dai quebrar a ultima linha para um remate ou cruzamento, o 10 chega-se ao vértice da área para dar linha de passe, daí partir para cima da defesa e colocar a bola nas costas, rematar de longe ou virar o flanco para o outro ala. Nisto os médios tem responsabilidades diferentes consoante o lado que se ataca. O médio do lado oposto que ataca, sobe para a linha do 10, dando-lhe uma linha de passe ou em caso de cruzamento, atacar a area vindo de tras. Durante este movimento, o libero sobe para ocupar o espaço do médio que subiu. O médio do lado que se ataca, desce para dar linha de passe para trás mas essencialmente para dar cobertura defensiva em caso de perda de bola. Caso a bola lhe chegue, pode rodar a bola rapidamente para a outra faixa através do libero.
Momento defensivo
Em caso do porto sofrer um contra-ataque rápido: https://imgur.com/VMeo1E1
Caso o FCP seja obrigado a defender uma equipa que joga preferencialmente em transição rápida, pode defender em 4-4-2 como está habituado em SA e o PL fazem a pressão a perda de bola, o ala do lado que perdeu a bola faz a linha de 4 com os médios e o 10, que consoante o seu posicionamento fecham a ala do outro lado. O ala do lado contrario desce para a linha dos centrais, enquanto o central do lado que perdeu a bola fecha o flanco e o central restante e o libero cobrem o meio.
Caso o adversário saia preferencialmente em ataque organizado: https://imgur.com/zH9DXa7, o Porto sobe o bloco, com o PL, SA (do lado esq) e 10(do lado direito) a fazerem a primeira pressão, com os alas, libero e medios a fazerem quase como uma linha defensiva no meio campo de 5, com os medios mais subidos, o libero no tipico lugar de trinco e os alas entre as linhas dos dois anteriores. Os centrais ficam responsaveis por fazer a cobertura no espaço por tras.
Quando instalados no nosso meio-campo:https://imgur.com/A8LpBRG, o Porto compacta-se, fazendo uma linha de 5 na defesa, a dar os flancos, com o volante no meio dos centrais, responsavel por cobrir a zona entre guarda-redes-centrais e o espaço central entre a proxima linha defensiva, consoante os movimentos preferenciais do adversario. Acima dos 5, ficam os medios e o 10, com um dos medios a ficar mais recuado centralmente, com uma linha proxima do SA e PL, responsaveis por fazer pressão em toda a linha do meio-campo. Aquando a recuperação rápida, o Porto pode então "explodir" na profundidade na procura do PL e SA.
Isto é apenas a minha opinião. Espero que daqui se possa criar um saudável debate.
submitted by pegasus29 to fcporto [link] [comments]


2019.09.16 23:10 Obstinate_slob Tarde descansada

[Acto 1] Cenário -Quarto fechado. Abafado. O ar pesado e húmido é entrecortado por breves e súbitos gemidos, “hus” e ”has” e “eixes” que partem do recanto mais íntimo e visceral do corpo e que atonam da boca para fora em borbotões animalescos e abruptos. A completar a pauta, volta e meia, um suspiro de esvaziar os pulmões até ao último bofe ressoa para lá da porta. Uma luz ténue permeia o interior da habitação, tingindo da cor do luar as paredes cúmplices; os lençóis e cobertores revoltos, que transbordam em cascata da cama abaixo; o buzilhão de roupas alijadas a trouxe-mouxe pelo chão; as garrafas de cerveja tombadas e rescendentes a indiscrição. Rebolam sobre a cama. As traves estalam e rangem de deleite ao sabor dos estrebuchos e esperneios. O suor escorre pela pele nua, perla as têmporas, assapa as melenas escuras de cabelo contra a cara. -
[Acto 2, Cena 1] Ela: «Carlos! Já cheguei!» ouve-se ao longe.
A porta fecha com o alívio entusiasmado de quem acaba o dia de trabalho mais cedo. Ouve-se o restolhar plástico de sacos das compras, o baquear de uma pasta ou de uma carteira pesada a alapar-se no seu poiso, portas a abrir e fechar, cadeiras a arrastar-se. Silêncio.
Ela: «Carlos?»
Silêncio com uma inflexão desassossegada, tensa. Eis então que aparece ela, envergando roupas de trabalho, o casaco acabado de pousar no respaldo da cadeira, o cabelo recém-liberto do rabo-de-cavalo. Sobe tripetrepe as escadas e tropica até à porta do quarto. Um trejeito inquieto e enfunado desenha-se-lhe no rosto, quando escuta os ruídos que ressoam pela porta.
[Acto 3, Cena 1]
A porta escancara-se, num rompante de total sem-cerimónia, e ela assoma pelo interior da habitação. A forte rescendência a bodum e a cerveja evaporada invade-lhe as narinas, numa baforada sórdida e peganhenta.
Ela: «Carlos, mas que vem a ser isto?»
A câmara foca Carlos- de olhos raiados e esbugalhados; os cabelos desgrenhados e sebosos; uma expressão varada de gato encadeado pelos faróis do carro; envergando um par sumário de bóxeres deslavados.
Ele: (Engole em seco) hã… (balbucios ininteligíveis) … Amor… -um sorriso sonso rasga-se-lhe à navalha pelos cantos da boca- hã… isto não é o que parece – e sem a desolhar, esbraceja por todos os lados, tentando esconder pela sonsa um vulto debaixo dos lençóis, enquanto chuta de calcanhar as garrafas para debaixo da cama.
Ela: Francamente, Carlos… - exaspera ela, uma mão ansiosa venda-lhe os olhos por um instante, antes de lhe alisar os cabelos para trás. Carlos salta da cama e poisa o aparelho vibratório no chão.
Ele: «Eu… só queria saber como era…»
Ela: Pois claro! – exclama, exaltada- e então? É fixe não é? – indaga, com sarcasmo caustico a escorrer-lhe das palavras, dardejando um olhar letal à sua concorrente. Carlos estarrece, atrapalhado e sem jeito. Tem dificuldade em reter o olhar de basilisco da namorada, mas sabe que se a desfitar e encarar a sua paixão proibida só se estará a enterrar ainda mais.
Ele: Hã… eu ainda nem tinha feito nada, isto nem… isto nem foi nada. Não conta. - tartamudeou Carlos, antes de lhe atalharem a conversa.
A maquineta vibratória trepida freneticamente no chão, como uma picareta pneumática das obras, caranguejando de um lado para o outro.
Ela: Sempre a mesma conversa! “Eu ainda nem tinha feito nada! Isto nem conta!” – parodia ela, num tom nasal de falsete. – Tu tinhas-me prometido, Carlos! Tu tinhas-me dito que te ias deixar destas merdas, quando fôssemos morar os dois... Caraças, pá… - A raiva dissolve-se em frustração. Dando meia-volta para não o ter de encarar mais, ela esboça uma rópia de como quem vai sair bruscamente do quarto, mas de repente pára. Arrosta-o novamente e pergunta-lhe
Ela: Gravaste por cima do meu save?
Ele: Hã… não…
Ela: Óptimo, passa para cá o comando, então. Agora é a minha vez de jogar - e com isto senta-se num amontoado de roupa suja, de frente para o ecrã bruxuleante. Pega no comando, ainda turbulento a estremecer no chão e, bufando uma melena da frente da vista, prime start.
submitted by Obstinate_slob to escrita [link] [comments]


2019.06.06 03:56 readyfortheplague Até o próximo amanhecer

Enquanto todos dormiam ele apenas passeava pela noite enfeitando o que só era possível até algumas horas da noite
depois de tanto tempo se despindo de todos os recursos que o faziam ser quem era
indo além de fórmulas sociais e didáticas começou a perceber que os caminhos haviam se tornado diferentes
ia além do que costuma
então uma bela madrugada qualquer ! desses que não existem por acaso alguém o esperava !
olá ! disse o sujeito com terno preto ... camisa branca e gravata vermelha !
estendendo a mão pra apertar a dele enquanto retirava o cigarro da boca com a outra
mãos foram apertadas como o trejeito social implica que seja feito
- gosto de vir fumar aqui antes de entrar em casa ... minha mulher não gosta que eu fume ! você sabe como é !
ele não sabia
depois do aperto de mão ele vai embora
dobra a esquina e volta pra casa
ficou pensando naquilo por um tempo
fazia tempo que não encontrava ninguém aquela hora da madrugada !
e era mesmo muito estranho um sujeito chegar do trabalho de madrugada
mas talvez ele fosse um executivo ou apenas usava o trabalho como desculpa pra se encontrar com a amante e por isso era desse jeito
e no outro dia apesar de ter hesitado a sua tarefa não essencial à sua vida ele fez do mesmo jeito !
antes de chegar no mesmo ponto que tinha encontrado o sujeito na noite anterior ouvi uma discussão e apenas olhou pela esquina esperando não ser visto !
eram três homens e os três usavam terno ... sem contar o sujeito que também usava ! e depois de ouvir alguém falando que se ele fosse nesse tal lugar de novo ele iria morrer ! e viu um dos sujeitos enterrar o punho fechado em sua face !
os outros três entram no carro ! um belo carro por sinal ! e vão embora
a luz da varanda de sua casa acende e a mulher abra a porta e pergunta o que foi !
ele responde que foi um problema de trabalho e que já havia sido resolvido
então ela pergunta que lugar era esse que haviam falado !
ele responde que não era nada ! que era só formalidade de trabalho e que ficaram zangados porque perdeu alguma ações !
eles entram !
ele volta pra cada dali mesmo e tenta saber que lugar é esse !
mas não tinha idéia de como começar a seguí lo a menos que tivesse o carro !
e no outro dia dito e feito !
nem dormiu essa noite ! pegou seu carro esperou na porta da casa e o seguiu !
como saberia o sujeito que estava sendo seguido !
o sinal fecha !
ele vê um sujeito se aproximando do carro ! tirando a arma debaixo da jaqueta de couro vermelha e atirando !
e agora ele simplesmente não sabe nem o início nem o final que levou a aquele desfecho
e ninguém nunca saberá !
submitted by readyfortheplague to u/readyfortheplague [link] [comments]


2018.06.14 19:08 turistaunmillon Desde Podemos se deben mandar claros mensajes al gobierno de P. Sánchez . Un ministro imputado desde 2016, en una causa en la que el fiscal es amigo personal del Sr. O es aún peor que lo del exministro Huerta

Desde 2012 asociaciones ecologistas alertaban del daño provocado en Doñana por los pozos ilegales:
https://www.ecoticias.com/naturaleza/65517/Sobreexplotacion-acuifero-Donana-WWF-Guadalquivir
Más información:
El pasado 10 de julio de 2017, Europa Press daba la noticia de que una juez de la Palma del Condado (Huelva) acusaba de un delito medioambiental a dos exalcaldes de Almonte —uno del PP y otro del PSOE— y al exconsejero andaluz de Agricultura, hoy ministro del mismo ramo, Luis Planas, por el robo del agua en el entorno de Doñana.
Dado que Luis Planas sigue imputado hasta el momento, como ha contado El País, Pedro Sánchez, que llegó a exigir la dimisión de cualquier imputado, decisión que afectó especialmente a las de Manuel Chaves y José Antonio Griñán, ha nombrado a un imputado en causa judicial ministro de su nuevo gobierno.
Fue el Juzgado de Primera Instancia e Instrucción número dos de La Palma del Condado (Huelva) el que dictó auto de procedimiento abreviado contra dos exalcaldes de Almonte, el socialista Francisco Bella y el popular José Antonio Domínguez Iglesias, a los que atribuyó ser partícipes en un delito contra los recursos naturales y el medio ambiente.
Asimismo, también procesó al exconsejero de Agricultura, Pesca y Medio Ambiente de la Junta Luis Planas por supuestamente consentir desde 2009 a 2012 el uso de agua de las parcelas del paraje Matalagrana de la que es titular dicha consejería con “conocimiento de la falta de autorización de los pozos y de la falta de autorización tanto del Ayuntamiento de Almonte como de los agricultores como cesionarios para utilizar agua de los pozos construidos”.
En el auto, la jueza les atribuía a los alcaldes “el consentimiento del uso indebido del agua de las parcelas de las que eran cesionarios, y a su vez, cedentes a los agricultores, con conocimiento de que en ese acuerdo no se incluía el uso de los pozos construidos en el marco del plan Almonte-Marismas”.
Además, añadía “sin haber procedido a iniciar gestiones para instar al titular de éstos a regularización, “colaborando igualmente a la degradación del medio ambiente natural del Parque Nacional de Doñana“.
El País, en la misma fecha, concretaba que también se procesaba en el auto, fechado en el mes de mayo, a dos ex altos cargos de la Junta: María Isabel Salinas García, exsecretaria general de Agricultura, Ganadería y Desarrollo Rural; y Judit Anda Ugarte, exdirectora general de la Producción Agraria. Además, resultaron procesados doce agricultores de la zona. Asimismo, a todos los imputados se les atribuye un presunto delito contra los recursos naturales y el medio ambiente.
En el caso de los empresarios agrícolas el auto señalaba que se infieren indicios de que han venido llevando a cabo labores de cultivo de frutos rojos en las tierras correspondientes al paraje conocido como Matalagrana, en Almonte desde mediados de los años 90, y en lo que afecta a la causa desde 2009 a 2012, haciendo “un uso indebido de los recursos hídricos disponibles en la zona”.
En concreto, indica que se firmaron varios convenios con el Ayuntamiento de Almonte, tras acuerdos con el ya extinto Instituto Andaluz de Reforma Agraria (IARA) propietario de los terrenos, para la realización de experiencias de introducción de cultivos de fresas compatibles con el medio ambiente. De este modo, como explica, se le cedían los terrenos a cambio de un canon, “sin hacer mención al uso del agua al que pudieran tener derecho tales parcelas”.
Así las cosas, el juzgado consideró que habían llevado a cabo extracciones de agua “no autorizadas ni autorizables de los mismos en estas parcelas”, incluidas en el Plan de Ordenación del Territorio del Ámbito de Doñana (POTAD), donde “no es posible autorizar nuevas captaciones por afectar las mismas al acuífero 27 que alimenta de agua al Parque Nacional de Doñana”.
En definitiva, remarca “se ha venido provocando un perjuicio irreparable al medio ambiente de una zona especialmente protegida al provocar la reducción de cantidad de agua disponible para la supervivencia de animales y flora natural del espacio protegido”.
Se anuncia la próxima desimputación de Planas Según El País, la Fiscalía de Medio Ambiente de Huelva, que prepara ya el escrito de acusación para el juicio y que durante la instrucción había mostrado dudas sobre la imputación del ahora ministro, no aprecia delito en su actuación por lo que será desimputado. Pero ello no anula el hecho de que cuando fue nombrado ministro lo estaba.
En los próximos días, anuncia el diario de Prisa, el ministerio público presentará ese escrito, no acusará a Planas y la causa en su contra se archivará, según avanzan fuentes de la Fiscalía. No ocurrirá así con los agricultores implicados y con dos exalcaldes socialistas de Almonte —Francisco Bella y José Antonio Domínguez—, a los que sí acusará el ministerio público e irán a juicio. La Fiscalía es la única acusación en este caso, con lo que su postura es determinante cuando se llega a la fase del juicio.
No hay que olvidar que el fiscal jefe de Huelva es Luis Fernández Arévalo, superior jerárquico de los fiscales de Huelva y muy bien relacionado con el PSOE y no sólo políticamente, sino familiarmente. Luis Fernández Arévalo es un fiscal procedente de Sevilla donde fuentes próximas a la Justicia lo señalan como amigo personal del ex consejero de Justicia e Interior de la Junta de Andalucía, Emilio de Llera, con el que mantuvo intensas relaciones durante años. Ya se sabe que de Llera fue uno de los enemigos máximos de la juez Alaya y uno de los muñidores de la defensa de la Junta y los ex altos cargos de la Junta en los casos ERE y el fraude de la formación.
En torno al fiscal Fernández Arévalo rondan algunas otras coincidencias. La primera de ellas es que su esposa, Pilar Sepúlveda García de la Torre, fue propuesta por el PSOE – según algunas fuentes directamente por Susana Díaz -, como vocal del Consejo General del Poder Judicial (CGPJ). Fue, además y durante años, presidenta de la Asociación de Asistencia a Víctimas de Agresiones Sexuales de Andalucía (AMUVI), una asociación de mujeres sin ánimo de lucro de ámbito andaluz cuya misión es la lucha contra la violencia y la discriminación que sufren las personas o colectivos más vulnerables. A esa asociación han llegado centenares de miles de euros en subvenciones procedentes de diversas fuentes de apoyo económico.
Por si fuera poco, su cuñada, María de los Ángeles Sepúlveda García de la Torre, doctora por la Universidad de Sevilla, licenciada en Medicina y Cirugía, especialista en Medicina Legal y Forense y experta en malos tratos y violencia de género, victimología y mediación familiar, fue nombrada en 2015 directora general de Violencia de Género, tras una larga carrera que había comenzado con la gestión de la empresa cooperativa agrícola Hermanos Sepúlveda (1988-1994). Luego fue la secretaria de AMUVI que presidía su hermana.
El fiscal provincial de Huelva, Fernández Arévalo, saltó a los medios de comunicación por su insólita decisión de comunicar al juez del caso el fraude de la formación que solicitaba el archivo que él mismo decidió apoyar instruir durante años y que afectaba a personas próximas al PSOE de Huelva y especialmente, al número 2 de Susana Díaz en el Parlamento andaluz, Mario Jiménez.
Hasta tal punto fue escandalosa su decisión que el Juzgado de Instrucción número 5 de Huelva acordaba remitir la causa de los cursos de formación al superior jerárquico del fiscal para que informara si finalmente sostiene o no la acusación en la pieza principal, ya que consideraba “injustificado” que el fiscal pida el archivo “cuando meses antes había solicitado la confirmación del auto que especificaba los indicios de delito contra los acusados”.
http://www.guerrillerosglobales.com/politica/el-ministro-de-agricultura-de-pedro-sanchez-luis-planas-esta-imputado-por-consentir-robos-de-agua-en-donana/
submitted by turistaunmillon to podemos [link] [comments]


2018.03.28 12:51 iAmJacksNewAccount [Sério] É de mim, ou o pessoal em Portugal adora grupos?

Eu tenho 25 anos e apesar de ter amigos, a maior parte não alinha em algumas coisas que eu gostava de fazer, o que me leva a procurar conhecer gente nova. O problema é quando vou sozinho a algum evento, tipo um meetup, parece que numa oportunidade brutal para socializar e trocar ideias, o pessoal vai em grupo, junta-se com o próprio grupo e fecha-se naquilo, não se abrindo a quem está lá que não faz parte do grupo. Já notei a mesma coisa quando saio à noite, está tudo em grupinhos e não é nada inclusivo. Porque é que isto acontece? Somos um povo assim tão fechado a conhecer gente nova? É medo?
submitted by iAmJacksNewAccount to portugal [link] [comments]


2018.01.24 18:19 bt22coin HEALTH SAÚDE Uma rede P2P de Saúde de armazenamento de registro médico

HEALTH SAÚDE Uma rede P2P de Saúde de armazenamento de registro médico v 0.1 Rogerio H. Berlanda Novembro 2017
1.0 Prefácio Seguindo a tecnologia de uma nova era entre sistemas e banco de dados e ativos eletrônicos ou dinheiro eletrônico ponto a ponto versão de um sistema de pagamentos que hoje revoluciona nossa economia como dito por Satoshi Nakamoto seja ele um grupo ou assim como nós um cidadão comum:
“Uma versão puramente p2p de dinheiro eletrônico pode permitir o envio de pagamentos online diretamente de uma parte para outra sem ser através de uma instituição financeira. Assinaturas digitais providenciam parte da solução, mas os maiores benefícios são perdidos se um intermediário confiável ainda for necessário para prevenir o gasto duplo. Nós propomos uma solução para o problema de gasto duplo usando uma rede p2p. A rede carimba uma data as transações codificando-as em uma corrente contínua de prova de trabalho baseada em codificação formando um registro que não pode ser modificado sem que a prova de trabalho seja refeita. A maior corrente não apenas serve como prova de sequência de eventos testemunhados, mas a prova de que eles irão gerar a maior corrente e ultrapassar os atacantes. A rede em si requer uma estrutura mínima. Mensagens são distribuídas na base da melhor forma possível, e os nós podem sair a vontade, aceitando a corrente com a maior prova de trabalho como prova do que aconteceu enquanto ele esteve fora.”
O que muitos não sabem é que a tecnologia por trás disso é a grande revolução BLOCKCHAIN é um sistema que cria uma corrente de dados imutável e segura.
Com isso, resolvemos criar uma solução dentre a cadeia e todo sistema de saúde já existente. Nossa ideia é otimizar trabalho e tempo, e também trazer aos usuários maior segurança e agilidade sob suas informações voltado a area de saude. A ideia inicial surgiu da necessidade de um plano de saúde ou atendimento médico, a solução encontrada foi criar um sistema onde você possa vender a força computacional do seus aparelhos seja computador, notebook, ou smartphones em troca de um ativo chamado XXXX, o qual será aceito em hospitais, farmácias, odonto, academias e clínicas particulares que utilizarem o sistema (Instituições parceiras).
INTRODUÇÃO
1.1 O que é Blockchain? E a tecnologia por trás da moeda digital Bitcoin, que desde 2009 vem ganhando o uso de uma forma generalizada tanto no setor de finanças quanto para sistemas descentralizados, com uma variedade de blockchains que habitam negócios e serviços ainda estão a entrar nesse mercado. A tecnologia blockchain é usada para compartilhar um registro de transação em uma rede de negócios sem ser controlada por qualquer entidade. O livro-razão distribuído facilita a criação de relacionamentos comerciais sem exigir um ponto central de controle. A tecnologia coloca privacidade e controle de dados nas mãos do indivíduo. Confiança e integridade é estabelecida sem dependência de terceiros intermediários.
1.2 Como Blockchain está mudando os mercado Fintechs. Atualmente, as transações digitais ocorrem com a ajuda de tokens. Este é um código exclusivo gerado por um terceiro (como Visa ou Mastercard, por exemplo) e é compartilhado com o solicitante de token (o revendedor do qual você está comprando) e o emissor da conta (o banco do cliente). Os tokens tornam as transações on-line mais seguras ao esconder os dados reais de identificação do cliente. Uma vez que o token é gerado por um terceiro que, por si só, não possui informações sobre a transação, não há espaço para qualquer tipo de dados que possam ser utilizados por um cientista de dados. Mas isso muda com a tecnologia Blockchain. Aqui, é teoricamente possível conseguir uma posse de todas as transações que já aconteceram e isso fornece aos cientistas de dados tudo o que precisam para analisar tendências e padrões em transações on-line. Os Blockchains fornecem aos bancos e instituições financeiras a tecnologia necessária para extrair dados mais úteis do histórico de transações do cliente. Além das instituições financeiras, os Blockchains como tecnologia também têm casos de uso em várias indústrias, onde é possível aos cientistas de dados “cavarem” através de grandes quantidades de dados que estavam até agora indisponíveis para mineração. A análise de dados oriundos de Blockchains permite identificar padrões como os gastos do consumidor e identificar transações de risco muito mais rápidas do que podem ser feitas com a tecnologia atual. Através do setor de saúde, varejo e administração pública, os estabelecimentos começaram a usar o Blockchain para evitar invasões e vazamentos de dados. Nos sistemas de saúde, uma tecnologia como Blockchain pode garantir que múltiplas assinaturas sejam buscadas em todos os níveis de acesso a dados. Isso pode impedir uma repetição do como houve em um ataque em 2015 que levou ao roubo de mais de 100 milhões de registros de pacientes. Até agora, a detecção de fraudes em tempo real era um sonho. Uma vez que o Blockchain tem um registro de banco de dados para cada transação, ele fornece uma maneira para que as instituições verifiquem padrões em tempo real, se necessário. Empresas como Chainalysis e Bloq usam essa inteligência em tempo real para tomar decisões sobre dados pseudônimos. Mas todas essas possibilidades também levantam questões sobre privacidade, e isso entra em contradição direta com a razão pela qual Blockchain e bitcoins tornaram-se populares em primeiro lugar. Entretanto, para analisar isso de outra perspectiva, os Blockchains melhoram a transparência na análise de dados. Ao contrário dos algoritmos anteriores, a tecnologia Blockchain rejeita qualquer entrada que não possa ser verificada e é considerada suspeita. Como resultado, os analistas das indústrias de varejo só lidam com dados completamente transparentes. Em outras palavras, os padrões de comportamento do cliente que identificados pelos sistemas de Blockchain provavelmente serão muito mais precisos do que é hoje. Embora o Blockchain ofereça uma grande promessa para a Ciência de Dados, a verdade é que ainda não temos muitos sistemas de tecnologia baseados em Blockchain implantados em escala industrial (principalmente no Brasil). Como resultado, as oportunidades e ameaças podem não ser evidentes por pelo menos mais alguns anos até que o Blockchain se torne mais comum. Entretanto, esta é uma tecnologia que promete ser revolucionária e que trará consigo um novo universo de dados transacionais online. Os estudantes e profissionais que trabalham com dados que almejam trabalhar com Blockchain, certamente possuem um futuro glorioso ainda por vir. Na imagem a seguir, criada pela Venture Radar, estão alguns exemplos de Startups que utilizam a tecnologia Blockchain
Figura1 Exemplos de Blockchains
1.3 Infra-estrutura Atual Saúde O realinhamento de um enfoque baseado nos registros de consultas para o cuidado integral do indivíduo torna se cada vez mais complicado e burocrático no que se diz respeito a necessidade e qualidade de vida “saúde”. Onde o acompanhamento e histórico hospitalar se torna cada vez mais fraudulento e falho sob todo o sistema. A disponibilidade de um serviço ou até mesmo atendimento pronto socorro se mostra menos acessível para aqueles que necessitam de um sistema básico de saúde ou até mesmo que não possuem condições mínimas. A infraestrutura, tecnologia e educação e impostos obtidos obrigam instituições e profissionais da área de saúde encarecer cada vez mais seus serviços entre o cuidado mínimo dos indivíduos (pacientes). Grandes corporações desviam boa parte da verba inserida pelo governo para área de saúde, tornando assim o acesso cada vez mais difícil por conta de suas grandes taxas e impostos. Situações como essas são presenciada em todo o globo.
1.4 Relação paciente. O novo paradigma da saúde exige a necessidade de um atendimento eficaz e de baixo custo para que assim seja acessível para todos, trazendo um registro de informações seguras e inviolável para que os pacientes e médicos possam navegar em históricos de consultas podendo assim acompanhar seus tratamentos.
❍ Paciente : Você pode acessar seu perfil de saúde em qualquer lugar, desde histórico médico anterior a receitas exigidas. As informações serão armazenadas em uma rede blockchain não publica.
Ativo Você pode receber todos os benefícios fazendo parte da rede minerando, você pode comprar XXXX, você pode vender, trocar ou até mesmo doar nossa moeda.
1.5 Relação médico. O médico por sua vez terá um nível mais elevado, é ele quem tem o papel de trazer conforto ou até mesmo a solução de um problema trazido pelo paciente então é a partir da confirmação dele que o sistema fecha o registro, para que assim a consulta possa ser registrado no livro razão.
❏ Médico: Você pode visualizar o histórico completo do paciente desde que tenha a “chave” do mesmo ou a chave da consulta fornecida pela instituição. Seu médico pode criar uma chave consulta a chave consulta permite desde que você forneça a sua chave que o médico insira informações sobre seu prontuário uma única vez.
Ativo Você recebe pela consulta, você pode comprar XXXX, você pode vender, trocar ou até mesmo doar nossa moeda. Além de poder fazer parte da rede minerando.
1.6 Relação instituição As grandes vantagens em ser uma instituição adaptada ao sistema, e ter um controle total e 100% confiável de que suas transações entre médicos e pacientes estão sendo feitas de forma correta sem violação.
⛨ Instituições: Podem criar novas consultas, visualizar todas as fichas médicas, fichas dos pacientes e todas as consultas.
Ativo Você recebe pela consulta, você pode comprar XXXX, você pode vender, trocar ou até mesmo doar nossa moeda. Além de poder fazer parte da rede minerando.
2.Sobre o sistema.
Sistema de Saúde descentralizado. Gerenciamento de consultas pela vida toda. Prova segura de informações. Ativo p2p. Minerável. ⛏
Um sistema que permite vantagens a todos os usuários trazendo como benefício todas as informações mantidas sob tecnologia blockchain. Os usuários terão como benefício todas as suas informações em poucos cliques. Além de poder fazer parte da rede minerando as transações, reavendo seu prof-of-work (prova de trabalho) o qual poderá ser utilizado como pagamento em suas consultas ou compras de medicamentos.
Nós definimos um ativo(moeda) eletrônico como o pagamento de uma chave(consulta) eletrônica. A instituição ou médico gera chave que se confirmada o pagamento salva na rede um novo hash contendo as informações da consulta(chave). O médico por sua vez ao finalizar seu atendimento trazendo as informações como prontuário, receita médica ou até mesmo atestado confirma o hash da consulta que será validada pela chave inicial do agendamento fornecida pelo usuário (paciente). Pós sua vez ao concluir todo o ciclo criado pelo processo seguro se todas as etapas de comprovação forem aprovada, só então a rede receberá um novo arquivo a ser registrado no cadeia blockchain, gerando uma transação dentro de um bloco.
Figura 1 Diagrama de pontes
A chave da consulta é solicitada pelo usuário via plataforma a instituição fará o registro do agendamento em formato chave de consulta Hash trazendo as informações sobre valores data e hora em que houver encaixe com a agenda do médico as informações ficarão registradas no chave da consulta. Figura 2 Diagrama de ponte P2P
Nesse processo o usuário faz contato direto com o médico ou solicitado o qual também terá permissão para criação de chaves de agendamento.
Figura 3 sequência de passos
Todo processo inicia com uma solicitação de uma nova consulta HASH, seja ela feita pela instituição ou pelo próprio usuário.
Figura 4 sequência de passos. Nessa etapa a instituição solicita ao médico sua cave para ser inserido como na chave hash da consulta.
Figura 5 sequência de passos
A instituição então retorna ao cliente as informações referente a consulta com detalhes sobre valor e informações do médico.
Figura 6 sequência de passos
Nessa etapa o cliente realiza pagamento e confirma o primeiro passo.
Figura 7 sequência de passos
Após realizar pagamento o cliente/paciente deve ser atendido pelo médico o qual deverá inserir um arquivo PDF contendo as informações da consulta validando o último passo registrando o hash.
Figura 8 sequência de passos
Após confirmar as duas etapas principais o hash pode ser inserido e registrado no livro razão como uma transação válida o qual ficará gravada sem que haja alterações.
Figura 9 sequência de passos
Para consultar as informações registrada é necessário ter a chave de acesso de determinado bloco onde o hash foi inserido.
2.1 Sobre a plataforma A plataforma com uma interface limpa trará aos usuários todos os registos solicitados, sendo histórico do paciente, histórico de atendimento do médico, e histórico de transações e agendamentos das instituições.
❍ Paciente: Permite visualizar seu histórico de consultas, abrir seus agendamentos futuros ou até mesmo agendar uma nova consulta.
❏ Médico: Permite visualizar todo histórico dos pacientes, desde que tenha a chave do paciente ou a chave da consulta.
⛨ Instituições: Permite visualizar todo o histórico dos paciente e dos médicos cadastrados em sua instituição.
3.0 Implementação sistema
A implementação do sistema depende de uma rede blockchain em andamento para que ao se inscrever na nossa plataforma o sistema gere as chaves e suas permissões.
❍ Paciente: Public key - Private key ex: 18pJYCmJwpNqmwjJXXH4SJiJndPoeYTnX4 / 156jkr5ALgiMRgjKq8tBogc1BRTnR3UkqQ
❏ Médico: Public key - Private key ex: 1FyP85EtujLnBu3knn7C7V5zk8viwcupmx / 3QKsH9bddUoi5CeAwkyFcPiCfJ5hbeWRmL
⛨ Instituições: Public key - Private key ex: 3CELAf6AiZ6TLeJ1ccxtxKU9q4ELbYLHvQ / 3JQ9sabS2UNS91qzDLYvuFmUUyJFarJHws
A. Análise das Limitações do Sistema Blockchain Esses sistemas têm limitações em que a máquina virtual não tem inspeção direta além da internet, exceto através do uso de serviços de oráculos. Adicionalmente, as limitações de armazenamento da blockchain são aplicadas pelo custo de gás para armazenar e pelo custo de gás para acessar estes dados. A partir disso, o tempo do bloco estabelece um limite mínimo para solicitações de modificação do estado de pelo menos quinze segundos. A limitação da blockchain para a hospedar informação privada pode ser superada através do obscurecimento dos dados, como a criptografia, mas no caso da chave de descriptografia já ter sido vazada, não há maneira de remover os próprios dados confidenciais da blockchain.
B. Objetivos de implementação para usabilidade e segurança Os principais objetivos de qualquer sistema seguro podem ser resumidos como os objetivos de confidencialidade, integridade, disponibilidade, responsabilidade e garantia de identidade/informação. Para acomodar esses objetivos, um invasor e usuário devem ser definidos. Cada um desses papéis exige certos reconhecimentos de capacidade. Do ponto de vista do usuário, o sistema precisa ser suficientemente transparente para que nenhum conhecimento avançado seja necessário. Além disso, devido à incapacidade do usuário normal de compreender as considerações complexas de segurança cibernética, o processo precisa ser resistente às ações do usuário.
C. Definição de Hardware e Implementação da Rede Para acomodar os objetivos de projeto acima mencionados, a implementação do sistema selecionado requer vários sistemas independentes. Cada sistema subdivide a autoridade, assegura que somente as entidades autorizadas possam interagir de forma aprovada e oferece um mecanismo para aumentar a segurança e manter a disponibilidade. Este sistema também foi concebido de tal modo que o escalonamento pode ser facilmente realizado através da adição de esquemas de chamada hierárquicos. Estes sistemas são completamente descritos em detalhe abaixo. A entidade que enfrenta o público é um Servidor de Chamada de Procedimento Remoto (Remote Procedure Call - RPC) que atua como uma interface para uma implementação privada da Blockchain da Ethereum (permissão blockchain). Esta rede de nós da blockchain, só está autorizada a interagir com os outros nós da blockchain, uma entidade de chave autoral, uma instalação de armazenamento compatível com a CP e o Servidor de RPC. A entidade de criação da chave é o recurso que gera pares de chaves públicas/privadas para uso na blockchain. A instalação do armazenamento compatível com a CP hospeda os dados reais que constituem informações eletrônicas privadas de saúde. Quando uma solicitação de dados ocorre, o sistema compatível com a CP pode ser autorizado a falar com o agente de encaminhamento, que re-roteia os dados de volta para o servidor de RPC. Alternativamente, ele pode ser estruturado de modo que o armazenamento da CP fale diretamente com o servidor de RPC. Cada implementação tem benefícios que devem ser considerados antes da seleção final. Em quaisquer casos, a instalação de armazenamento da CP descriptografa as porções relevantes da base de dados após a manuseio da solicitação. Esta informação codificada é então recodificada utilizando a chave pública da parte solicitante para a transmissão. Esta chave pública é também a chave pública do contrato que atua como a interface de controle da blockchain para os dados da. O que se segue é um diagrama da topologia da rede.
E. Definição da Implementação do Software Além do isolamento físico de sistemas na implementação de hardware e rede, o controle de acesso do software facilita a integridade dos dados e a verificação da autorização para entidades solicitantes. O sistema do software, a partir da perspectiva do controle de acesso e da criptografia de dados, é descrito a seguir:
Figura 3: Topografia da rede blockchain
O banco de dados compatível com a CP aceitará apenas conexões de entrada do expedidor da CP. Isso garante que o fluxo de tráfego seja isolado para caminhos conhecidos controlados. O expedidor da CP agirá apenas para encaminhar uma solicitação para a instalação de armazenamento da CP enquanto uma transação válida ocorreu na blockchain e essa transação resultou na emissão de um evento solicitante. Este evento solicitante precisa conter a chave pública do solicitante e os campos de dados solicitados. Finalmente, o servidor de RPC usa uma Interface de Programa de Aplicativo (API) controlada por acesso, de modo que somente usuários conhecidos possam interagir com o servidor. Para entender a hierarquia de chamadas do sistema, a estrutura do contrato para facilitar o controle do acesso deve ser abordada antes. Cada usuário no sistema faz um mapa para um endereço privado na blockchain privada. Todos os endereços privados só estão autorizados a falar directamente com um contrato na blockchain. Este contrato é o contrato de classe do indivíduo. Instituições, médicos da instituição e clientes são objetos de nível de classe.
3.1 Permissões de acesso. Esses objetos de nível de classe são interfaces com permissão. O Contrato de Instituição tem uma lista de todos os clientes que concederam privilégios de visualização à instituição e cada contrato de cliente tem uma lista de todas as instituições às quais concedeu permissão. O contrato da instituição possui funções que facilitam a revogação de permissões para a instituição, a partir do usuário. O contrato institucional não pode alterar esta lista, impedindo assim o acesso não autorizado a registros individuais. Além disso, o Contrato de Instituição possui uma lista de empregados autorizados que é totalmente capaz de manter. Este esquema de permissão idealmente deveria funcionar de modo que a revogação automática de uma permissão seja realizada em intervalos semi-regulares para evitar que uma instituição inadvertidamente preserve os direitos de acesso de ex-funcionários. Dentro deste sistema, todas as partes externas interagem através da submissão de transações assinadas que codificam a chamada solicitante. Essas transações são enviadas através do servidor de RPC após a validação do usuário. O servidor de RPC envia essas solicitações para o servidor de agregação de dados que, em seguida, encaminha essas solicitações para os mineiros com base em um mecanismo de compartilhamento de carga. Os mineiros, em seguida, processar o pedido, submetendo a transação em nome do autor da chamada para o contrato de controle da parte respectiva. Este contrato contém as permissões dos dados que a entidade está autorizada a acessar internamente no contrato. Este contrato é a única entidade que aceitará uma transação de um pedido externo. Deste modo, é estabelecido um mecanismo para controlar completamente as operações de chamada na blockchain. Para qualquer transação, é criado um registro imutável do autor da chamada. Isso garante que todas as tentativas de acesso a informações sejam registradas. Os dados reais armazenados dentro do contrato de usuário é um sistema de indicadores de hash que quando resolvido pelo servidor de armazenamento da CP resultam no retorno dos dados apropriados. Essas informações são borbulhadas até o remetente da CP pela execução de uma transação de solicitação válida. O mecanismo que facilita essa comunicação é indireto e se manifesta através do sistema de mensagens da blockchain. Devido à limitação de que o solicitante só pode consultar o banco de dados por uma transação válida, e o usuário não pode alterar diretamente suas próprias informações, controle de acesso é justificado. Do ponto de vista das instituições, os mecanismos são semelhantes, exceto o contrato de instituição que hospeda uma lista de usuários de quem pode solicitar dados e uma lista de usuários que podem interagir com esta instituição como funcionários. Quando uma transação de solicitação se origina no contrato de um funcionário da instituição, o contrato de controle chama o contrato da instituição, que chama o contrato do usuário para solicitar os indicadores de dados que resolvem o ePHI. Enquanto a instituição estiver na lista de instituições aprovadas para o usuário, o contrato retornará os indicadores de hash apropriados. Estes indicadores são então publicados como uma mensagem de evento que novamente borbulha até a instalação de armazenamento da CP. Para maior clareza, o processo completo de uma única solicitação é o seguinte: A parte externa solicita dados do serviço chamando o servidor de RPC com uma transação criptograficamente assinada para a submissão para a blockchain. O servidor de RPC verifica a identidade da parte externa através da assinatura de uma solicitação de login. Enquanto a assinatura corresponder a uma entrada no banco de dados de chaves públicas autorizadas, o servidor de RPC aceita a solicitação e envia a solicitação a Máquina de Agregação de Dados (Data Aggregate Machine). A Máquina de Agregação de Dados então submete os pedidos aos verificadores privados da blockchain. Os verificadores recebem o pedido como uma chamada de uma conta da blockchain contra um contrato de destino. Os verificadores executam essa chamada e, no caso de a solicitação ser uma ação permitida, a transação é inserida no bloco seguinte. Esta transação também provoca a emissão de uma mensagem de evento na blockchain. Essa mensagem de evento é observada pelo expedidor da CP, que atua para criar uma solicitação criptografada contra o armazenamento da CP com base nos hashes da mensagem de evento. Essa mensagem também contém a chave pública do solicitante. O sistema de banco de dados compatível com a CP observa esse pedido e transmite uma cópia criptografada das informações para o servidor de CP usando a chave pública do solicitante. O servidor de RPC retorna essas informações para a parte solicitante remapeando o IP solicitante para a chave pública na mensagem. O servidor de CP transmite essa mensagem sem nunca ter visto os dados subjacentes. Esses dados são imediatamente destruídos pelo servidor de RPC, garantindo assim que o servidor CP atue como um canal que não precisa ser compatível com a CP. O mecanismo para publicar os dados é novamente de natureza semelhante, porém os dados a serem enviados são criptografados com a chave pública da instalação de armazenamento da CP. As outras operações são idênticas, exceto os dados que estão sendo postados que borbulham através do sistema de mensagem de evento. Assim, devido ao uso de funções de hashing de colisão baixa e de nonces com carimbos de data/hora, os dados podem ser armazenados com o contrato sendo capaz de computar o endereço em que os dados submetidos estão localizados dentro da instalação de armazenamento da CP. Finalmente, a distribuição de chaves privadas para entidades deve ser tratada. Isto pode ser facilitado através de meios ópticos para os utilizadores de smartphones. Isto é análogo ao uso de códigos QR como endereços para endereços na Ethereum. Meios alternativos também podem ser estabelecidos usando aplicativos em computadores de mesa e dispositivos tablet/smartphone. A perda de uma chave não é um evento catastrófico, devido à capacidade de remover administrativamente o controle do acesso de um contrato de controle de uma chave e conceder outra.
3.3 Interoperabilidade Os sistemas de BC são baseados em uma arquitetura de validação de credenciais isolada na qual os dados das instituições serão separados em cada um dos sistemas. No entanto, o acesso das informações da principal organização do Provedor às outras organizações é apenas via capacidade limitada em instâncias casos como Ler, Propor, Enviar ou Notificar. Além disso, o Paciente tem muito pouca interação ou envolvimento nessa troca de informações além de visualizar seu histórico. Qualquer erro relacionado com a comunicação incorreta ou errada é muito difícil de corrigir. Uma vez que uma blockchain e seus contratos inteligentes são configurados, os parâmetros tornam-se absolutos. O paciente torna-se o principal intermediário no envio e recebimento de informações de saúde negando a necessidade de atualizações freqüentes e solução de problemas de qualquer software. Como os registros da blockchain também são imutáveis e armazenados por todos os usuários participantes, as contingências de recuperação são desnecessárias. Além disso, a estrutura de informação transparente da blockchain poderia abolir muitos pontos de integração de troca de dados e atividades de relatório demoradas.
3.4 Processo e Escalabilidade Os usuários estão no controle de todas as suas informações e transferências, o que garante dados de alta qualidade, completos, consistentes, pontuais, precisos e amplamente disponíveis, tornando-os duráveis e confiáveis. Devido à base de dados descentralizada, a blockchain não tem um ponto central de falha e é mais capaz de suportar ataques maliciosos. Em qualquer rede de cuidados de saúde é necessário garantir que os participantes que estão trabalhando em conjunto podem depender uns dos outros para fornecer os serviços necessários que se espera deles. Para isso, deve haver um meio de assegurar a prestação de contas de tarefas e serviços esperados sejam entregues em tempo hábil e também a responsabilidade associada caso não forem entregues em tempo hábil ao nível de qualidade esperado. Assim, qualquer infra-estrutura de cuidados de saúde tem que ter a competência de perfeitamente ser capaz de monitorar as informações necessárias para permitir que o principal provedor de cuidados avalie a sua rede de cuidados. Além disso, à medida que a rede de cuidados de saúde cresce e essa interação entre as redes de provedores de cuidados aumenta a infraestrutura dos cuidados de saúde deve ser capaz de abordar esta escala de forma eficaz. O aspecto chave para a construção de um sistema de Gerenciamento de Cuidados 12 altamente escalável e distribuído é um quadro arquitetônico peer-to-peer. Essa estrutura já foi usada em vários segmentos da indústria como mídia, esportes, mercado imobiliário, cadeia de suprimentos e outros, a blockchain pode ser facilmente um conector de software complementar para frameworks centralizados existentes. Isto nos levou a explorar a utilização do framework da blockchain para a sua aplicabilidade para ajudar a permitir uma estrutura peer-to-peer para os cuidados de saúde. A Blockchain tem a promessa de validar duas ou mais entidades envolvidas em uma "transação de saúde". Isso fornece dois atributos-chave em comparação com um modelo de autenticação centralizada. A primeira é que as partes interessadas podem se envolver em um "nível de transação" de "relação de confiança". A segunda é que a exposição da obrigação em tal relação é limitada apenas ao envolvimento de "nível de transação". Isso é muito útil, pois limita o acesso de informações e responsabilidades entre as partes envolvidas e, ao mesmo tempo, permite que uma parte entre em uma relação de transação com um número de outros provedores com base em suas capacidades específicas e tipo de atendimento a ser entregue ao paciente. Isto é significativamente melhor do que os sistemas centralizados convencionais que têm a necessidade de limitar o número de provedores para uma ampla gama de necessidades de pacientes devido ao esforço necessário para gerenciar o acesso e as obrigações.
3.5 Troca de Informação sobre Saúde e Tokens Para o Brasil se afastem com sucesso do modelo de taxa por serviços burocráticos para o atual modelo baseado em valores, tem que haver uma infraestrutura de TI de saúde que permita às organizações vincular qualidade, valor e eficácia de intervenções médicas através de um modelo de remuneração respeitável. A compensação irá se basear na eficácia da rede dos provedores de serviços em conjunto para garantir a melhoria da qualidade dos cuidados e bem-estar e, ao mesmo tempo, reduzir os custos de cuidados associados. Para incentivar verdadeiramente os diferentes participantes na rede a criar proativamente melhores regimes de assistência, uma compensação baseada no mérito de economias compartilhadas (reembolsos) entra em vigor. A fim de alocar efetivamente uma parte proporcional ao provedor na rede que mais contribuiu para a economia global, um monitoramento claro de sua contribuição é mensuravelmente executado por contratos inteligentes na rede da blockchain. Outro impacto-chave do novo paradigma de saúde é o modelo de compensação onde os provedores são elegíveis para receber compensação adicional além do cuidado prestado. Esta compensação é o resultado de economias que são geradas com base na forma de quanto os provedores gerenciam os resultados dos cuidados do paciente (incentivos). Qualquer economia gerada através de uma gestão eficiente do cuidado do paciente pode ser mantida pelos provedores e seus parceiros de rede como parte do aspecto de economia compartilhada do novo paradigma de saúde.
Nossa proposta dá a capacidade dos pagadores de transferir tokens como incentivos para os provedores que alcançam essas métricas de qualidade. A capacidade de acompanhar e gerenciar contratos inteligentes em que os benefícios podem ser resgatados com facilidade, fornecendo a qualidade necessária para provedores e pacientes participarem ativamente de uma colaboração recíproca. Contrariamente, se um ou mais participantes falharem, penalidades apropriadas por meio de obrigações também podem ser cobradas com a mesma facilidade. Esta aproximação da qualidade/bem estar fornecerá o impulso necessário que é preciso para deslocar a indústria de cuidados médicos de uma mentalidade da gerência da doença a uma mentalidade de estilo de vida bem-estar. Daí em diante, tokens emitidas pela XXXX (XXX), vão ser o token nativo da plataforma da XXXXX. Em troca de tokens XXX, os usuários serão capazes de usar a rede para alugar espaço de armazenamento de informações de saúde, e para executar pagamentos e transações nos contratos inteligentes de saúde. Acreditamos firmemente que usar um token seja o melhor sistema de pagamento para suportar esta infra-estrutura no futuro próximo. O futuro é um ecossistema vibrante de muitos tokens, para os quais a saúde precisará de um sistema de pagamento em ciclo fechado. O resultado será um ciclo de feedback positivo do círculo de gerenciamento de cuidado eficiente com diminuições significativas em bilhões de dólares atualmente atribuídos à fraude de pagamento de saúde. O sistema também incentiva as grandes organizações com amplo armazenamento de servidores a trocar tokens com organizações de saúde de pequeno e médio porte que precisam de acesso direto à rede de saúde da blockchain sem a implementação direta de um nó. No entanto, as novas políticas de saúde fornecem o potencial para incentivar os provedores a trabalharem juntos para melhorar as vias de atendimento, as atuais arquiteturas de EHR ficam aquém desta habilidade, assim, a simples concessão ou recebimento de tokens facilita esse processo. Portanto, o valor dos tokens está vinculado ao volume de transações executadas na rede. À medida que a rede XXXXX aumentar consistentemente as transações de tokens, a demanda por token aumenta, resultando em aumento de valor.
Distribuição
Referências:
http://www.businessinsider.com/ripple-progresses-blockchain-tech-high-profile-partners-2017-7
http://joseguilhermelopes.com.bblockchain-e-a-ciencia-de-dados/
https://www.forbes.com/sites/danmunro/2015/12/31/data-breaches-in-healthcare-total-over-112-million-records-in-2015/#6fdc12237b07
https://www.ventureradar.com/
https://www.chainalysis.com/
https://www.bloq.com/
submitted by bt22coin to u/bt22coin [link] [comments]


2017.05.19 18:22 batataway Um dia no Porto.

Em resposta a este post, e para quem interessar - https://www.reddit.com/portugal/comments/6c1y19/s%C3%A9rio_um_dia_na_vossa_cidade_vila_aldeia/
Em modo percurso, e pegando em algumas nas sugestões do ForeverJamon sugiro um passeio como um autóctone o faria (não vamos subir a torre nenhuma que isso é pago. ), sendo que dá para inúmeras variações.
Começas no topo do Hotel Dom. Henrique onde tomas o pequeno almoço (caro!) e em seguida desces a rua Sá da Bandeira. Ao chegares ao cruzamento com a Rua Fernandes Tomás, visita o Mercado do Bolhão. Aproveita para comprar fruta pois vamos almoçar na rua com vista para o Rio, não compres vinho! Disso vamos tratar mais tarde.
Quando acabares a tua visita ao mercado, desce até à Rua Formosa, tens ai uma confeitaria de nome "confeitaria do bolhão". Compra bola de carne e pede para embrulhar. Não sabes para que lado é, certo? É em frente ao Bolhão mas na porta da Rua Formosa, logo esquerda para quem desce Sá da Bandeira. Se gostares de plantas e não tiveres ficado farto dentro do mercado aproveita para entrar na casa hortícola, a mesma família vende bolbos e sementes desde 1921! Quando saíres da pérola do bolhão olha para o topo da porta do mercado. Estás a ver aquelas duas personagens? Personificam o comércio e a agricultura. Volta ao Porto daqui a 5 anos quando o Mercado estiver todo arranjado para uma experiência diferente.
Já que estamos na Rua formosa, se fores uma pessoa que gosta de doces, tens ai uma Arcádia. Compra uma caixa de línguas de gato, é caro mas compensa imenso. Quando parares para tomar café podes mexer o mesmo com uma língua de gato (e depois comer a mesma, claro), é incrível!
Protip: Se desceres a Rua Formosa em direcção aos Aliados vais passar pelo Conga (fica na rua do Bonjardim que cruza com a rua formosa) mítica casa de bifanas. Eu no entanto, sugiro a codorniz.
Vamos subir a Rua Formosa pq precisamos de vinho para o nosso almoço, nessa rua, quase frente a frente vais encontrar duas mercearias tradicionais. A "Comer e chorar por mais" e a "Pérola do Bolhão". Entra numa delas e pede a quem te atender uma garrafa de vinho do Douro, até X euros. Tinto ou branco, é contigo.
Continua a subir e vira para a Rua de Santa Catarina. Vamos fazer esta rua até ao fim mas não penses que vamos tomar café no Majestic, nada disso, é bonito mas é um roubo. Vamos entrar no Majestic e vamos mandar os empregados foder fingindo falar uma língua desconhecida para eles, sempre com um sorriso, claro.
Se conseguires, tenta estar no cruzamento da Rua de Santa Catarina com a Rua de Passos Manuel às 11h00 ou 14h00 a olhar para o relógio que fica por cima da fnac. É um relógio verde.
De 3 em 3 horas saem do relógio pequenas estátuas do S. João, do Infante D. Henrique, do Almeida Garrett e do Camilo Castelo Branco, tudo personagens importantes da história da cidade, são acompanhadas de música. O espectáculo dura apenas um ou dois minutos. Deixo-te um vídeo que hoje estou simpático: https://youtu.be/ddWiHbkjI6U?t=1m15s
Já está? Boa, agora avança por Santa Catarina e desce a Rua 31 de Janeiro. Quando chegares ao fundo da 31 de Janeiro do teu lado esquerdo encontras a estação de S. Bento podes ver os azulejos se quiseres ser mais turista. Daqui já deves conseguir ver a torre dos Clérigos por isso avança por ai a fora em direcção a esta.
Chegaste aos Aliados certo? Finalmente! Estás a ver a estátua do gajo que está em cima de um cavalo? Esse man é D.Pedro IV, gostou tanto da cidade do Porto e das suas gentes que disse "Eu vou, mas o meu coração estará sempre no Porto", por isso depois do gajo quinar, abrimos o corpo do homem e tirámos o coração ao gajo que ficou guardado num frasco até aos dias de hoje. Está fechado não a sete mas a cinco chaves na Igreja da Lapa no Porto. Uma das placas que ladeia a estátua mostra esse momento. Pega uma imagem do coração para não achares que estou na tanga: http://images-cdn.impresa.pt/expresso/imv-2-232-966-coracao-a584.jpg/original/mw-860
De X em X anos abrem o mausoléu e retiram o coração numa cerimónia. A última vez penso foi em 2009, logo por muito que gostes de merdas gore não o podes ver.
Protip: Se queres mesmo ver cenas gore , manda um email para aqui [email protected], (ou na falta de resposta, para [email protected]) e pede para visitar o (o TheBushMonster diz que não é nececssário marcar) visita o Museu de Anatomia Nuno Grande (Fica a 15 minutos a pé de onde estás) As visitas são grátis mas obrigam a marcação prévia - Sneak Peak: http://roof-magazine.com/GestorSistema/2016/09/anatomia_4.jpg
Vamos subir a rua dos clérigos, aviso que se não tens pernas de pessoa que mora no Porto não tentes acompanhar a malta, vai ao teu ritmo. Eventualmente vais passar pela Livraria Lello, não vale a pena entrar, espeta a cara nos vidros e espreita, caso queiras mesmo entrar, são 3 euros que depois podes trocar ou abater num livro. Eu não perdia tempo na fila que é enorme, mas tu é que sabes....
Sobe tudo até chegares ao edifício da reitoria da Universidade do Porto, saberás qual é pois em frente tem uma praça com uma fonte com leões. O Porto, e suponho que outras cidades tb, tem nomes não oficiais para locais, o nome deste é os Leões, apesar que no teu google maps vai aparecer Praça Gomes Teixeira. O Chico Gomes Teixeira foi o primeiro reitor da Universidade do Porto e tens um busto do homem dentro da reitoria se quiseres ver o swag dele.
Se estiveres de costas para a reitoria, do lado direito vais ter uma pequena rua que na verdade é uma praça cujo nome é Praça Guilherme Gomes Fernandes (o maior Bombeiro que alguma vez existiu no mundo em e Portugal, tens o busto do gajo num canto do jardim), segue essa rua e entra na Padaria Ribeiro. Sabes onde estás? Na melhor padaria e pastelaria do universo. Vamos comprar (assumindo que não estás sozinho): 2 empada de vitela, 2 empada de frango em massa tenra, um lanche misto. Compra pão, caso tenhas tido a boa ideia e comprar queijo e presunto nas mercearias. Pede para embrulhar tudo e cortar o lanche a meio. E agora vamos almoçar que já está na hora e eu estou cheio de fome. É sair da padaria e virar à direita. Avança novamente para edifício da reitoria, e contorna-o. Estás a ver aquelas esplanadas todas. A segunda é o piolho, é um café mítico entre os estudantes. Entra e pede um copo de plástico, sorri e inventa uma desculpa. É que temos uma garrafa de vinho e não temos copos. Só pediste um? Entra no café a seguir e repete a dose. Caso eles digam que não dão, pede um fino em copo de plástico, bebe de pênalti e fica com o copo. "E se o OP quer ser cá da malta, tem de beber este copo até ao fim, até ao fim até ao fim........" Enquanto estás no piolho podes ler as placas que o pessoal vai deixando quando termina o curso.
Da esplanada do Piolho deves conseguir ver o jardim da cordoaria, segue até ao fim do jardim e vais reparar que do teu lado esquerdo tens uma estátua grande de uma senhora com uma espada e ao lado deste edifício (que é o tribunal da relação) tens uma pequena rua que desce imenso. Desce a rua, vira para a tua esquerda e TCHARAM, estás no passeio das virtudes (http://www.porto24.pt/wp-content/uploads/2015/09/Virtudes_Viver-o-Porto.jpg). Agora senta-te e come, tens ai umas mesas de pedra. Se tiveres sido esperto ao longo deste percurso compraste fruta no mercado, presunto, queijo, salgados e vinho (e uma garrafa de água tb era fixe). Descalça-te e abre a garrafa de vinho com um sapato, no caso de não saberes como é que isso se faz, usa a internet ou...no fim do passeio tens um café, pede para abrirem.
Protip: Caso tenhas sido burro e não tenhas seguido a minha sugestão para comprares comida pelo caminho, entras no edifício amarelo com o brasão de pedra que fica em frente da rua que acabaste de descer, viras para a tua esquerda e desces as escadas até ao último piso, tens ai um restaurante porreiro mas não barato (+-15 a 20€) - http://1.bp.blogspot.com/-zFvA-G96m3g/VgLOWh-GEEI/AAAAAAABoHY/hkkB05FL2s0/s1600/IMG_6052%2BAcopy.jpg - Tu tb não mereces barato, não compraste nada nas mercearias e no mercado.
Agora que estás cheio como uma prostituta holandesa no fim de uma noite de sábado do red light district de Amsterdão, das duas uma ou bates uma soneca ou vamos avançar.
Protip: O melhor local para bater uma soneca ao ar livre é na Praça de Lisboa que fica ao lado da Reitoria. A relva é fofa, não tem merda de cão e tem espaços com sombra. Podes é ter os betos do bar que acham que estamos em Ibiza e como tal por vezes começam a bombar música azeiteira bastante alto.
É para avançar? Segue o passeio das virtudes e começa a descer a rua Francisco Rocha Soares, a partir deste ponto escolhe tu as ruas, não tenhas medo de te perderes, se continuares sempre a descer vais dar ao rio. Tb não tenhas medo de ser roubado, o Porto é uma cidade segura. E tu dizes: "caralho batataway, diz lá por onde é que vou". Se fores preguiçoso podes descer pelas escadas que ficam no fim dessa rua, eu sugiro no entanto desceres sempre até Miragaia. Sabes de onde vem o nome? De Mirar Gaia. Duh! Ok, a verdade é que o nome vem de Gale, que significa em frente a Gaia.
O que não faltam no Porto são igrejas mas a igreja que fica na rua que acabaste de descer tem uma particularidade, é uma "igreja pobre" e é um contraste muito grande com outra igreja que passaremos em breve no nosso percurso (Igreja de São Francisco). Se puderes entrar para veres a diferença era fixe. É uma igreja simples pois era uma igreja de "pescadores". É a igreja de S. Pedro de Miragaia.
Protip: Se por acaso estiveres pela cidade na véspera do S.João, aqui é um boa zona para vir dançar e beber copos a partir das 2 das manhã. A animação de rua aqui só acaba por volta das 6h00 com um palco a bombar pimbalhada a noite toda.
Em frente vais ver edifício da antiga alfândega do porto, é habitual terem exposições ou feiras mas atenção que costuma ser pagas.
Se estiveres de frente para a alfândega vamos começar a andar para a esquerda em direcção à ribeira (Rua nova da Alfândega) e vais notar que mal começas a fazer a curva consegues vislumbrar do teu lado esquerdo a igreja de S.Francisco, é bem grande! É das igrejas mais "ricas" da cidade com um interior quase todo de talha dourada (https://3.bp.blogspot.com/-vJvx71CzzVY/V2HxLd6JUQI/AAAAAAAAKeU/W1bd8eujiyYKw1WZCmmxIvr1q2eGdas-ACLcB/s1600/11_igreja.jpg).
Hoje em dia tens de pagar para entrar (4.5€), eu prefiro gastar esse dinheiro num gin, mas tu fazes o que quiseres. Se fizeres um choradinho e disseres que acabaste de vir da igreja de S.Pedro e que só queres espreitar eles deixam-te. Ajuda se tiveres uma t-shirt com a cara do Papa chico.
Começa a entrar na Ribeira pela rua da Reboleira (é a rua mesmo em frente e que começa a descer). É uma rua tipicamente medieval e o nº55 (ou é o 59? Não tenho certeza) é uma construção cujo o rés-do-chão é medieval mas os andares superiores foram sendo construídos ao longo dos séculos. É a casa-torre da rua da Reboleira e é dos edifícios mais antigos da cidade.
Se virares logo na primeira rua vais dar a uma das minhas ruas favoritas da Ribeira, na verdade é um muro. O muro dos Bacalhoeiros, o nome provém dos barcos que descarregavam o bacalhau na alfândega e este era posto a secar nesse muro. O muro tem outra história, conheces o bacalhau à gomes de sá? A casa onde nasceu José Luís Gomes de Sá é aqui no Muro dos Bacalhoeiros.
Protip: Como turista que és podes ter a tentação de querer ficar um bocado sentado na Ribeira, não o faças. Não só preço da cerveja é alto como sobe quanto mais perto estivermos do Rio. Não existe nenhuma razão realmente válida para o fazer a não ser apenas perder tempo. Se quiseres mesmo beber uma cerveja compra numa mercearia e senta-te ao pé do Rio. PROFIT!
Segue o muro até ao fim, desce as escadas e aproxima-te do rio, agora segue pela margem. Vais encontrar uma praça com uma fonte e um escultura de um cubo. Esta zona é conhecida como o Cubo ou a praça do Cubo (o nome real é Largo/Praça da Ribeira). Do teu lado direito vais ver uma escada e uma arcada, passa pela arcada e segue em frente para veres o que é o barreto - é como se designa o interior da ribeira.
Quando encontrares uma praça atravessa novamente para perto do Rio. Como está a ficar na hora de nos começarmos a enfrascar é aqui que vamos descansar um pouco, no Peter’s Café Sport. Se calhar nunca ouviste falar do Peter’s café Sport, logo permite-me a introdução. É um bar conhecido mundialmente, e desde os anos 80 considerado um dos melhores bares do mundo. O famoso não é no Porto, mas sim na Horta, ilha do Faial. Ponto de paragem obrigatório para todos os velejadores que fazem a travessia do atlântico. É conhecido pelas suas tostas mistas e pelo gin. Não gin maricas com couves como se serve hoje em todo o lado.
O primeiro Peter’s (não sei se existem mais) a abrir fora do Faial foi aqui no Porto. Se vais queimar dinheiro na Ribeira, que seja aqui com um gin.
Quando estiveres pronto avançamos para a travessia do Rio pelo tabuleiro inferior da Ponte D.Luis I. Não digas aos teus amigos que esta é obra do Eiffel da torre Eiffel. Foi construida por um caramelo que trabalhou com o Eiffel na Ponte D.Maria que fica um pouco mais acima no Rio e que hoje está desactivada.
O nome do gajo que a fez é Théophile Seyrig e eu decorei o nome como “Pédophile Serynga”. Caso estejas a pensar “mas o que são estas colunas aqui ao lado? É da antiga ponte pênsil que foi desmontada quando se acabou a construção da D.Luis I.
Protip: Não pares a meio da ponte para tirar selfies sem avisar as pessoas que vão atrás, corres o risco de levar duas bojardas para aprenderes a não ser idiota. Os passeios são estreitos e os carros passam na ponte. Tb não te atires ao Rio que isso é a forma de sustento dos proto-gunas-macacos dessa zona.
Chegaste ao fim, parabéns, estás em Gaia. É outra cidade. Sabes quando é que Gaia é uma cidade bonita? Quando vista do Porto.
Agora estás em modo free tour, dá uma volta pela Ribeira de Gaia para depois subirmos para até ao tabuleiro superior da ponte D.Luis I.
Como estamos em hora de enfrascanço temos duas possibilidades, uma toda fina e outra mais normal. A normal é o ar de rio, senta-te cá fora e pede sangria, a fina é o último piso do espaço Porto Cruz. É um terraço onde podes beber cocktails feitos com vinhos do Porto da Porto Cruz. Ambos são fixes, depende do que te apetecer. Eu como não turista vou ali aos cafés do mercado municipal comprar umas cervejas frescas e fico sentado ao pé do Rio. Não sabes abrir uma super bock com um isqueiro? É a tua oportunidade para aprender algo novo (ou então pedes para te abrirem e poupas os dedos e o isqueiro).
Agora vamos subir até ao tabuleiro superior da ponte, novamente, dou-te duas sugestões:
Subir em passeio: Vais pela rua Cândido dos Reis (não confundir com a cândido dos Reis no Porto que é um local mais para copos e vida nocturna - É a rua do “Plano B”) e cortas para a travessa Cândido dos Reis, sobes as escadas, rua da Barroca, continua a subir, rua general torres, atravessa a rua e sobe pelas escadas, rua do pilar, continuas a subir, no topo encontras outras escadas, sobe essas escadas também, (não tenhas medo dos gunas que estão sempre no topo dessas escadas. A única preocupação deles é descobrir quantos canhões conseguem fumar por dia) e pronto estás no jardim do morro, achas a vista boa? Espera até estares no meio da ponte.
Subir modo preguiçoso versão batataway: Voltas ao início da Ponte D. Luís I, tens um edifício grande com um parque estacionamento, entras no parque como se fosses buscar o teu carro, avanças até ao fundo do parque e do lado esquerdo vais encontrar elevadores. Sobe até ao último piso, sobes a rampa de acesso ao carros e sais. Estás na calçada da serra. Sobes a rua até encontrares uma escada de pedra. No topo dessa escada e estarás no jardim do morro.
Atravessa a ponte D. Luís I pelo tabuleiro superior. A meio do tabuleiro vais ter das melhores vistas da cidade. Tira uma selfie e canta o “Porto Sentido” do Rui Veloso - https://www.youtube.com/watch?v=ch5DVcZqsu4 - “Quem vem e atravessa o rio, Junto à serra do Pilar, vê um velho casario, que se estende até ao mar. Quem te vê ao vir da ponte, és cascata são-joanina, erigida sobre um monte, no meio da neblina. Por ruelas e calçadas da Ribeira até à Foz por pedras sujas e gastas e lampiões tristes e sós. E esse teu ar grave e sério, num rosto de cantaria, que nos oculta o mistério, dessa luz bela e sombria, Ver-te assim abandonado, nesse timbre parnacento, nesse teu jeito fechado, de quem mói um sentimento, E é sempre a primeira vez, em cada regresso a casa rever-te nessa altivez. de milhafre ferido na asa.”
E não é que agora a letra desta música faz sentido para ti tb? Isso não invalida que o Veloso seja uma azeiteiro.
Não sei quanto a ti, mas eu estou a ficar com fome, por isso sugiro acabar de atravessar a ponte e bater umas tascas. Sim?
Acabas a ponte e continuas a subir a rua até a Sé estar do teu lado esquerdo. É fácil de identificar a Sé, é puta de grande.
Atravessa a estrada e entra pela rua Chã, segue pela Rua Cimo de Vila até encontrares a Casa Louro. O que é que achas que vamos comer? Olha para a foto do gajo que criou a tasca: https://jlmeirinhos.files.wordpress.com/2014/01/neg_casa_louro_0033.jpg - Presunto! Amigo. Presunto! Claro! Não te empanturres, temos mais tascas para bater, mas isso não quer dizer que não possas beber uma malga de tinto. Enquanto comes a tua sandes pensa no ForeverJamon e como gostavas que ele estivesse aqui contigo.
Protip: Melhor lugar para comprar misturas de caril para aquele prato com que pretendes impressionar a gaja que andas a tentar comer é na Rua Cimo de Vila.
Agora que já não estás esganado de fome, desce a rua e vira na primeira cortada à esquerda, sobe essa rua e vais encontrar a cervejaria Gazela. Eu não acho grande merda mas o pessoal garante que os cachorrinhos da Gazela é das melhores coisinhas da vida. Bebe um fino com isso que já deves estar com sede.
Terminamos o cachorro, sobe a rua e aproveita para apreciar como o Teatro S.João é bonito, isso dá-te tempo para fazer um bocadinho a digestão, podes entrar tb, é grátes.
Quem está de costas para o S. João, do lado direito aparece uma rua ao lado de um hotel todo finesse. É a rua de entreparedes e vamos seguir por essa rua e virar na primeira à direita. Aqui dou-te novamente duas opções, se fores guloso vamos mamar um gelado no La Copa (que juntamente com a Sincelo são os melhores gelados de Portugal. Que sa foda a Santini, é merda em comparação). Eu sou menos guloso e mais bêbado, por isso do outro lado da rua do La Copa vais encontrar um hotel todo moderno. Entra, apanha o elevador para o último andar. Fixe não é. Tem um problema de serviço, por vezes tens que descer um piso para avisar que queres pedir no bar do terraço. Bebe um cocktail, uma cerveja ou uma merda qualquer e aproveita o sol de fim de tarde. Diz que queres amendoins ou coisas para picar, está incluído no preço da bebida mas como o serviço é mitra e por vezes não trazem!
Descansado? Contente? Ainda bem, agora paga para ficares menos contente e apanha o elevador de volta para a rua. Segue a rua, vira à esquerda e continua até encontrares um jardim. Sobe esse troço e estás no famoso Guedes. Nada que saber, duas sandes e pernil. Uma com queijo da serra, outra sem. Para beber, se estiveres acompanhado, pede uma garrafa de vinho da casa (é verde).
Já estás a ficar com os copos? Ainda bem, ainda temos mais uma paragem já de seguida para aconchegar o estômago. Gostava mais do Buraquinho antigo, mas as papas de sarrabulho não perderam qualidade no novo. Atravessa a direito a estrada e a praça e vais encontrar, depois de subires uns 3 ou 4 degraus, uma tasca que fica num edifício cor de rosa de nome “o Buraquinho”.
Ainda não estás feliz? Ai mesmo ao lado tens o venham mais 5 para comer um prego no pão como deve ser.
Agora ou vamos para casa ou vamos para a noite.
Se vais para casa pq estás com os copos és um facadas e um conas. Eu fico sozinho, estou-me a cagar para ti! Bai lá, mariquinhas!
Se vamos para a noite, vamos começar por descer a rua Passos Manuel e ver se temos concertos ou se algo vai acontecer no Passos Manuel ou no Maus Hábitos. O Maus hábitos fica num edifício que é um parque de estacionamento e que tens que subir até ao último piso. O Passos e o Maus Hábitos ficam frente a frente. Se algo acontecer nesses lugares, porreiro é dar uma volta e esperar ou ficar a beber copos nos poveiros (é a praça que atravessaste para ir para o Buraquinho). Se não acontecer é avançar para a “baixa”. Continua a descer a rua Passos Manuel até chegares aos Aliados. Aprecia a beleza do palácio da Câmara Municipal, branco e imponente, e diz baixinho para ti: Que puta de cidade espetacular e bonita. Quero morar aqui! Quando acabares de te babar, continua em frente e sobe a Rua de Ceuta e avança para a rua das Galerias de Paris. O Café Au Lait, costuma ter concertos, o Plano B tb. O Plano B é um bom local para acabar a noite, mas tenta chegar por volta das 3h00 para não teres que lutar com imensa gente que está a tentar entrar.
Não queres ir para o Plano B e estás com fome, certo? É altura de uma francesinha pré-sono, a melhor francesinha que vais arranjar é no Pajú. Fecha por volta das 5 da manhã e é mesmo um restaurante e não um café ou um bar. É ligeiramente mais afastado e isso é bom pq assim podes limpar essa álcool todo que tens no sangue e desenvolver essa fome. Não te vou escrever como é que chegas ao Pajú pq é longo, mas é no 309 da Rua Faria Guimarães. A porta por vezes está fechada e tens que bater.
Se quiseres petiscos, o Museu da Avó na baixa fecha às 4h00. Não é a melhor coisa de sempre mas bate facilmente aquelas pizzas manhosas e os paniques.
Espero que te divirtas e se precisares de mais dicas avisa.
submitted by batataway to porto [link] [comments]


2017.05.05 23:21 Diberino Estou desenvolvendo um aplicativo de quadras de futebol e preciso da opinião de vocês

Pessoal, estou desenvolvendo um app pra quem curte jogar futebol. O app basicamente encontra tua localização e procura quadras por perto. O intuito é tanto pro pessoal que trabalha e ja tem times fechados quanto pra quem tem 4 pessoas que jogam, mas nunca fecha time. Ou pro pessoal que quer jogar bola mas não tem time fechado e não se importaria de jogar com pessoas aleatórias. Se puderem me ajudar respondendo e compartilhando esse formulário, eu agradeço pakas.
https://goo.gl/forms/csY59XhKya0Q5Ym73
submitted by Diberino to brasil [link] [comments]